A construção do conceito de saúde entre estudantes de medicina, enfermagem e odontologia

Katheri Maris Zamprogna, Ana Karollyni Testoni, Vânia Marli Schubert Backes, Jouhanna do Carmo Menegaz., Daniella Karine Souza Lima, Aline Massarolli

Resumo


Este estudo objetivou compreender como discentes regularmente matriculados nos dois últimos anos de formação dos cursos de enfermagem, medicina e odontologia de uma Instituição de Ensino Superior do Sul do Brasil percebem a construção do conceito de saúde durante sua formação profissional. Trata-se de um estudo descritivo-exploratório, de abordagem qualitativa. Os dados foram analisados a partir da proposta operativa de Minayo (2010). Como resultado, definiram-se as seguintes categorias que discutem como ocorre a construção do conceito de saúde desses acadêmicos: a) construção do conceito de saúde nas experiências curriculares formais, expressas pela discussão nas disciplinas iniciais dos currículos e atividades de inserção na atenção básica; e b) construção do conceito de saúde nas experiências curriculares informais, com destaque para o PET-saúde, estágios em ambientes hospitalares, atividades do movimento estudantil e projetos de extensão. Concluiu-se, como resultado da ênfase no desenvolvimento crítico-reflexivo dos estudantes a busca pelos currículos informais, como alternativas às carências experienciadas no que se refere à dicotomia entre a imersão teórica sobre os diversos conceitos de saúde desenvolvidos e a formação prática. Ainda, percebeu-se uma valorização do conceito ampliado de saúde em somente algumas disciplinas oferecidas pelos cursos, na maioria das vezes, no início da formação curricular.


Palavras-chave


Educação em Saúde; Currículo; Sistema Único de Saúde; Formação de Conceito; Processo Saúde-Doença.

Texto completo:

PDF


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.