Estado nutricional de crianças beneficiárias do Programa Bolsa Família no município de Itajaí (SC): análise dos indicadores no período de 2008 a 2015.

Autores

  • Amanda da Silva Patrício Curso de Nutrição. Centro de Ciências da Saúde. Universidade do Vale do Itajaí.
  • Taynara Martins Curso de Nutrição. Centro de Ciências da Saúde. Universidade do Vale do Itajaí.
  • Tatiana Mezadri Programa de Mestrado em Saúde e Gestão do Trabalho. Vice Reitoria de Pós Graduação, Extensão e Cultura. Universidade do Vale do Itajaí.
  • Leo Lynce Valle de Lacerda Programa de Mestrado em Saúde e Gestão do Trabalho. Vice Reitoria de Pós Graduação, Extensão e Cultura. Universidade do Vale do Itajaí.

Palavras-chave:

sistemas de informação em saúde, criança, estado nutricional, programa bolsa família

Resumo

Introdução: O Programa Bolsa Família (PBF) tem entre suas finalidades, favorecer a segurança alimentar e nutricional das famílias por meio de transferência direta de renda. Objetivo: Analisar a evolução dos indicadores dos índices de peso/idade, altura/idade e Índice de Massa Corporal/idade de crianças menores de cinco anos beneficiárias do PBF no período de 2008 a 2015 no município de Itajaí e comparar a diferentes estratos: estadual (Santa Catarina), regional (região sul) e nacional (Brasil). Métodos: Trata-se de uma pesquisa quantitativa do tipo ecológica, desenvolvida com dados secundários disponibilizados através do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. Foram coletados percentuais e calculada a média e o coeficiente de variação de peso/idade, altura/idade e Índice de Massa Corporal/idade. Resultados: O município de Itajaí destacou-se positivamente na maioria dos indicadores com relação aos outros estratos, apresentou melhores resultados nos déficits de estatura e peso para idade ao longo do tempo, manteve os níveis de eutrofia estáveis e aumentou o índice de peso elevado. Ao avaliar o Índice de Massa Corporal/idade, houve percebeu-se tendência para o aumento do risco de sobrepeso. Conclusão: Os indicadores, de forma geral, tiveram um impacto positivo no déficit nutricional das crianças, porém, tanto o município de Itajaí quanto os demais estratos analisados apresentaram aumento no sobrepeso e obesidade. 

Referências

ANSCHAU, F. R. Insegurança alimentar de beneficiários de programas de transferência de renda. 2008. 93f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina. 2008.

BRASIL. C. (2004). Decreto nº 5209, de 17 de setembro de 2004. Decreto Nº 5.209 de 17 de Setembro de 2004. Brasília, 2004.

BRASIL, M. da S.. Protocolos do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional: SISVAN na assistência à saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2008. 33 p.

BRASIL. M. do D. S. e C. F. Programa Bolsa Família: Agenda da Família. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. 2010.

COELI, C. M. Sistemas de Informação em Saúde e uso de dados secundários na pesquisa e avaliação em saúde. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, p. 335-336, set. 2010.

COTTA, R. M. M.; MACHADO, J. C. Programa Bolsa Família e segurança alimentar e nutricional no Brasil: revisão crítica da literatura. Revista Salud Publica, [s.l.], v. 33, n. 1, p. 54-60, jun. 2013.

ESUS, G. M. e col. Déficit nutricional em crianças de uma cidade de grande porte do interior da Bahia, Brasil. Ciências e Saúde Coletiva, [s.l.], v. 19, n. 5, p. 1581-1588, maio 2014.

FLORES, L. S. e col. Trends of underweight, overweight, and obesity in Brazilian children and adolescents. Jornal de Pediatria, [s.l.], v. 89, n. 5, p. 456-461, set. 2013. Elsevier BV.

JAÍME, P. C.; SANTOS, L. M. P. Transição nutricional e a organização do cuidado em alimentação e nutrição na Atenção Básica em saúde. Divulgação em Saúde Para Debate, Rio de Janeiro, v. 51, n. 0, p. 72-85, out. 2014.

MARTINS, J. I. C. Obesidade e estilos de vida em crianças em idade pré-escolar. 2015. 105 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestre em Ensino de Educação Física dos Ensino Básico e Secundário, Universidade de Trasosmontes e Alto Douro, [s.l.], 2015.

MONTEIRO, F. e col. Bolsa Família: insegurança alimentar e nutricional de crianças menores de cinco anos. Ciências e Saúde Coletiva, [s.l.], v. 19, n. 5, p. 1347-1358, maio 2014.

PAULA, D. V. de e col. Avaliação nutricional e padrão de consumo alimentar entre crianças beneficiárias e não beneficiárias de programas de transferência de renda, em escola municipal do Município de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, Brasil, em 2009. Epidemiologia e Serviços de Saúde, [s.l.], v. 21, n. 3, p. 385-394, set. 2012.

PEDRAZA, D. F. Crescimento linear das crianças brasileiras: reflexões no contexto da equidade social. Revista de Nutrição, [s.l.], v. 29, n. 2, p. 287-296, abr. 2016.

PEDRAZA, D. F.; SALES, M. C.; MENEZES, T. N. de. Fatores associados ao crescimento linear de crianças socialmente vulneráveis do Estado da Paraíba, Brasil. Ciências e Saúde Coletiva, [s.l.], v. 21, n. 3, p. 935-946, mar. 2016.

PINHEIRO, J. L. Influência do PIB per capita, índice de Gini e índice de Vulnerabilidade Social na concessão de Bolsa Família para municípios catarinenses - análise de 2010. 2016. 76 f. Monografia (Especialização) - Curso de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

SOARES, A. P. H. e col. Análise da Prevalência de Baixo Peso em Crianças Menores de Cinco Anos de Idade, inscritas no projeto "Hortas Domésticas". Revista Eletrônica Gestão & Saúde, [s.1]., v. 4, n. 4, p. 1326-1343, jul. 2013.

WOLF, M. R.; BARROS FILHO, A. de A. Estado nutricional dos beneficiários do Programa Bolsa Família no Brasil - uma revisão sistemática. Ciênciaa e Saúde Coletiva, [s.l.], v. 19, n. 5, p. 1331-1338, 2014.

Downloads

Publicado

2020-08-10

Edição

Seção

Artigos originais