Potencial terapêutico da participação em movimentos sociais: um estudo a partir de militantes do MST

Autores

  • Leandro Amorim Rosa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Instituto de Ensino Superior de Catanduva

Palavras-chave:

movimento social, psicologia, MST, saúde mental, participação política.

Resumo

O presente artigo objetiva realizar uma discussão inicial sobre as possibilidades terapêuticas presentes na participação em movimentos sociais, mais especificamente no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Para se pensar a participação política foram adotados como referenciais o pensamento gramsciano e a psicologia histórica cultural. No que diz respeito à ação terapêutica, foram assumidas as propostas de fatores terapêuticos de Yalom e de outros estudos baseados em tal autor. O corpus empírico foi produzido por meio de entrevistas semiestruturadas com quatro militantes do MST. A partir da articulação entre os depoimentos e as elaborações teóricas, pôde-se pressupor a existência de uma dimensão terapêutica nas vivências dos participantes junto ao movimento social. Foram identificados oito fatores terapêuticos nas falas dos militantes: instilação de esperança; universalidade; compartilhamento de informações; altruísmo; desenvolvimento de técnicas de socialização; aprendizado por intermédio do outro; aceitação; autocompreensão. Outros três fatores terapêuticos psicopolíticos são também propostos: ideais de mudança comunitária e social; garantia de sobrevivência e segurança material para a família; conquistas relacionadas à luta. Por fim, procura-se entender e propor como tal dimensão terapêutica pode estar vinculada a outras duas dimensões presentes no movimento: o aprendizado e a práxis política. Defende-se a possibilidade de entender a ação política coletiva não como um movimento de massa predominantemente irracional, impulsivo e autoritário, mas como detentora de potenciais de emancipação e mudanças sociais democráticas.

Biografia do Autor

Leandro Amorim Rosa, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Instituto de Ensino Superior de Catanduva

Doutorando em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP). Possui graduação (2010) e mestrado (2013) em Psicologia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto USP. Durante o mestrado foi pesquisador visitante da Università degli Studi di MilanoBicocca (Milão,It.) junto ao Professor Francesco Paolo Colucci. É professor no curso de Psicologia do Instituto Municipal de Ensino Superior de Catanduva (IMES Catanduva). Compõe o corpo docente do Curso de Especialização em Psicologia Política (EACH USP).Leciona as disciplinas: Psicologia Social, Psicologia Comunitária e Políticas de Subjetividade. Supervisiona estágios em Psicologia Comunitária junto a instituições públicas. Atua principalmente nos seguintes temas: Psicologia histórico cultural, participação política e movimentos sociais.

Downloads

Publicado

2017-06-30

Edição

Seção

Artigos originais