Translation of entrepreneurial attributes into business DNA by entrepreneurs: an analysis from businesses at the ideation stage

Autores

  • Naiane Cristina Salvi Universidade Federal de Santa Catarina
  • Jaison Carlos Scheel Univille
  • Luiz Salomão Ribas Gomez UFSC
  • Francisco Antonio Pereira Fialho UFSC

Palavras-chave:

Business DNA, Translation, DNA Tool, Ideation, TXM Business.

Resumo

The translation practices, which accompany the evolution of communication in history, are usually dealt with in the context of textual communication or oratory. This article seeks to expand such practices to other forms of language, especially translation in the symbolic realm of interpretation, promoting an analysis of the occurrence of the translation of essential attributes in business DNA, from the perspective of entrepreneurs whose businesses are in the ideation stage. Considering the recent growth of entrepreneurship initiatives, it is essential to understand the impact of the ideas translation, seeking to evolve business concepts. The objective of this paper is to understand how the translation of DNA occurs by entrepreneurs in businesses in the early stage of development. The study applied the DNA Tool, in creative events, with two distinct groups of entrepreneurs, one in remote modality and the other in hybrid modality. It was possible to perceive that, even though the businesses are at an early development stage, the entrepreneurs have a good vision of their main characteristics. However, it is possible to observe a fragility in the uniqueness of these attributes among the projects, which points to a strong influence of the collective in the translation process.

Referências

ALVES, Fábio. Tradução, cognição e contextualização: triangulando a interface processo-produto no desempenho de tradutores novatos. DELTA: Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, v. 19, p. 71-108, 2003.

ARIAS, PABLO GARCÍA. Doxa y episteme en la Literatura comparada. Dinámicas del espacio, p. 147. https://www.revistasg.uff.br/sg/article/view/686/365

BRAUN, Jan Raphael Reuter et al. O positivismo percebido nas etapas de desenvolvimento do DNA da marca. Arcos Design, v. 8, n. 1, p. 36-48, 2014.

CAMPOS, Amanda Queiroz et al. O Evento Criativo como etapa de construção do DNA de Marca: o caso Wavetech. Sistemas & Gestão, v. 10, n. 4, p. 670-677, 2015.

CARRERA, Fernanda. Marcas Humanizadas: E suas Interações Sociais com Consumidores no Ambiente Digital. Editora Appris, 2020.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da língua portuguesa. 2008.

CZARNIAWSKA, B. Emerging institutions: Pyramids or anthills? Organization Studies, v. 30, n. 4, p. 423-441, 2009.

DAWKINS, Richard. O gene egoísta. Editora Companhia das Letras, 2017.

DE ASSUNÇÃO, Heloísa et al. DNA de marca: um estudo prático do processo de identificação. e-Revista LOGO, v. 2, n. 1, p. 38-50, 2011.

DE AZEVEDO KREUTZ, Elizete. As Marcas e a Simbologia da Imagem: Uma análise da Logomarca do Estado do RS.

FASCIONI, Lígia. DNA empresarial: identidade corporativa como referência estratégica. Editora Integrare, 2017.

GIACON, João; DREYER, Bianca Marder. A função estratégica da atividade de relações públicas nas startups brasileiras, Associação Brasileira de Pesquisadores de Comunicação Organizacional e de Relações Públicas (Abrapcorp) XV Congresso Brasileiro Científico de Comunicação Organizacional e de Relações Públicas, São Paulo, 2021.

GOBÉ, M. et Zyman, S. (2001), Emotional branding: The New Paradigm for Connecting Brands to People. Watson-Guptill Publication. New York, NY.

GOBÉ, M. (2010), Brandjam: o design emocional na humanização das marcas, Rocco, Rio de Janeiro, RJ.

GOMES, Inês Alessandra da Cunha. The Insomnia Project Contributos sobre o papel dos Fashion Films na comunicação de Moda. 2017. Tese de Doutorado.

GOMEZ, Luiz Salomão Ribas; PEREIRA, Priscila Zavadil; SALVI, Naiane Cristina. Florianópolis, 2020.

GOMEZ, Luiz Salomão Ribas; PEREIRA, Priscila Zavadil; SALVI, Naiane Cristina. COCREATION LAB: TRANSFORMANDO IDEIAS EM NEGÓCIOS A PARTIR DA METODOLOGIA TXM BUSINESS. In: Da teoria à ação: iniciativas empreendedoras da Universidade Federal de Santa Catarina. Editora CRV, Curitiba, 2020.

GOMEZ, Luiz Salomão Ribas et al. O DNA da marca de moda: o processo. A moda num mundo global, p. 131-155, 2011.

GOMEZ, Luiz Salomão Ribas et al. DNA de marca: Um estudo prático do processo de identificação. e-Revista LOGO, v. 7, n. 3, p. 58-81, 2018.

GUERINI, Andréia; CHRISTMANN, Fernanda; MATOS, Morgana Aparecida de. Estudos da Tradução em Diálogo. 2020.

HECK, Ana Claudia Correa et al. A percepção do DNA de marca por seu público: caso da cooperativa de agricultores familiares de Criciúma, SC. In: IDEMi IV-IV Conferência Internacional de Integração do Design, Engenharia e Gestão para Inovação. 2015.

JUNG, Carl Gustav. Os arquétipos e o inconsciente coletivo Vol. 9/1. Editora Vozes Limitada, Rio de Janeiro, 2018.

KRESS, Gunther; VAN LEEUWEN, Theo. Reading images: The grammar of visual design. Routledge, 2020.

LONGO, Walter. MARKETING E COMUNICAÇÃO NA ERA PÓS-DIGITAL: AS REGRAS MUDARAM. São Paulo, SP: HSM do Brasil, 2014. 312 p.

MACHADO, Felipe. Etapa Think: Arquétipos. In: e-books Plataforma TXM.Business. (Org) GOMEZ, Luiz Salomão Ribas; PEREIRA, Priscila Zavadil; SALVI, Naiane Cristina.

MAGALHÃES, Alexandre; OLIVEIRA, Fernando. Linguagens de síntese visual do DNA das marcas gastronómicas de Estrela Michelin. Estudo de Casos comparativo. Convergências: Revista de Investigação e Ensino das Artes., v. 13, p. 1-11, 2020.

MANCINI, Renata. A tradução enquanto processo. Cadernos de Tradução, v. 40, p. 14-33, 2020.

MARTINEZ, Silvia AOC; FERREIRA, Amauri C. Hermenêutica simbólica, Jung e transdisciplinaridade: luzes e sombras na educação. Psicologia USP, v. 32, 2021.https://www.scielo.br/j/pusp/a/MBhvjJRTwC5RSsXwm9TkMMG/?lang=pt

PEARSON, Carol S.; MARK, Margaret. O Herói e o Fora-da-Lei: como construir marcas extraordinárias usando o poder dos arquétipos. 2011.

PINILLA, JOSE ANTONIO SABIO. A HISTÓRIA DA TRADUÇÃO DO BRASIL. Tradução em Revista, v. 2021, n. 30, 2020.

RAMALHO, Sandra. Imagem também se lê. São Paulo: Edições Rosari, 2005.

SALVI, N. C. et al. Design Camp LOGO UFSC: A proposition of immersive experience in the textile market for design students. In: Textiles, Identity and Innovation: Design the Future. CRC Press, 2018. p. 247-253.

SARAIVA, Luana Bittencourt et al. O Brand DNA Process® da marca da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). 2021.

RAWLINSON, J. Geoffrey. Creative thinking and brainstorming. Routledge, 2017.

ZALTMAN, O. ZMET®: The process, disponível em: http://www.olsonzaltman.com/process.htm (Acesso em 28 de janeiro de

.

SOUZA, Vivian Gomes Monteiro; SOARES, Neiva Maria Machado. UMA TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA DE ÓRFÃOS DO ELDORADO SOB A PERSPECTIVA FUNCIONAL. TROPOS: COMUNICAÇÃO, SOCIEDADE E CULTURA (ISSN: 2358-212X), v. 9, n. 1, 2020.

SPINA, FELIPE. Ideação: entenda como funciona essa fase na jornada da startup. 2020. Disponível em: https://distrito.me/ideacao/. Acesso out/21.

THUY, Tran Thi Hieu. Reading Images-the Grammar of Visual Design. VNU Journal of Foreign Studies, v. 33, n. 6, 2017.

VASCONCELLOS, Maria Lucia; BARTHOLAMEI, LAJ. Estudos da Tradução I. Material de estudos do Centro de Comunicação e Expressão. UFSC, 2009.

WAERAAS; A.; NIELSEN, J. A. Translation theory “translated”: three perspectives on translation in organizational research. International Journal of Management Reviews, v. 18, n. 3, p. 236-270, 2016.

Downloads

Publicado

2022-01-04

Edição

Seção

Artigos