Minorias sexuais e de gênero, o estigma social e a sociedade de risco

Letícia Souza de Freitas

Resumo


O presente ensaio tem por objetivo analisar o lugar imposto à população lésbica, gay, bissexual, travesti, transexual e intersexual (LGBTI+), as ditas minorias sexuais e de gênero, na sociedade moderna que se organiza em resposta ao risco. Para fomentar a reflexão teórica acerca da vulnerabilidade social desse grupo específico, será utilizada a concepção de Estigma Social no discurso sociológico de Erving Goffman e a ideia de Sociedade de Risco descrita pelo sociólogo alemão Ulrich Beck. A fim de compreender e direcionar a discussão sobre o tema, tomaremos aqui dois aspectos neste contexto: em primeiro plano a população LGBTI+ e a questão da vulnerabilidade e da desigualdade social que acomete parte deste seguimento populacional. Posteriormente, conclui-se acerca dessa temática, atribuindo centralidade à reflexão sobre a concepção de risco e estigma social inerentes às práticas preconceituosas e discriminatórias presentes na sociedade contemporânea.


Palavras-chave


Minorias sexuais e de gênero; Sociedade de Risco; Estigma Social.

Texto completo:

PDF


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.