Desafios da Atenção Básica e Contribuições do Projeto de Cooperação Mais Médicos em um município catarinense de pequeno porte

Rafael Gustavo de Liz, Rita de Cássia Gabrielli Souza Lima

Resumo


Em perspectiva histórica, o artigo analisa a percepção de trabalhadores da atenção básica de um município catarinense de pequeno porte sobre os desafios enfrentados no cotidiano das ações e sobre o impacto social do Projeto de Cooperação Mais Médicos no município. Trata-se de um estudo de natureza qualitativa, de nível exploratório e de caráter analítico, realizado em 2015 com dados coletados pela técnica de grupo focal. Documentos oficiais revelaram que antes da chegada do médico cubano, a atenção básica local estava desprovida de médico havia um ano. Entre os desafios, destacou-se a necessidade de investimento em um modelo teórico para a atenção básica ordenado pela concepção de saúde como socialmente determinada.  A inserção de um médico social na equipe propiciou um encontro ético-político entre as práticas da atenção médica e as da atenção básica, indicando que a prática médica exercida pelo médico cubano se materializa de modo integrado às práticas da atenção básica. Este cenário de práticas coletivas fortaleceu as condições de possibilidades, existentes no território, para o reconhecimento de saúde como resultado de condições de vida e do projeto econômico de País. O diálogo do real da atenção básica com a história e suas tendências contraditórias gerou um chamado: a necessidade de o Estado assumir a articulação da atenção básica com demais políticas econômicas e sociais.


Palavras-chave


projeto de cooperação mais médicos, programa mais médicos, atenção básica.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal; 1988.

Paim JS. (Tese). Reforma Sanitária: um estudo para compreensão e crítica. 2007. Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal da Bahia, Salvador. 2007.

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Relatório Final da VIII Conferência Nacional de Saúde. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/8_conferencia_nacional_saude_relatorio_final.pdf. Acesso em 10.01.2017.

Scheffer M, Bahia L. A saúde nos programas de governo dos candidatos a Presidente da República do Brasil nas eleições de 2014: notas preliminares para o debate. http://cebes.org.br/site/wp-content/uploads/2014/07/proposta-sa%C3%BAde-presidenciaves-2014.pdf>. Acesso em: 26 jul. 2018.

Pires D. Divisão técnica do trabalho em saúde. http://www.sites.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/divtectrasau.html. Acesso em: 26 jul. 2018.

Lima RCGS, et al. A construção do direito à saúde na Itália e no Brasil na perspectiva da bioética cotidiana. Saúde soc. 2009; 18(1): 118-30.

Brasil. Portaria nº. 1886 de 18 de dezembro de 1.997. Aprova as Normas e Diretrizes do Programa de Agentes Comunitários de Saúde e do Programa de Saúde da Família. Brasília, DF. 1(247); 1997.

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica Memórias da Saúde da Família no Brasil. Brasília: MS; 2010.

Brasil. Portaria nº. 2488 de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da atenção básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Brasil, DF. 1(204); 2011.

Brasil. Medida Provisória nº. 621, de 08 de julho de 2013. Institui o Programa Mais Médicos […]. Brasília, DF. 1(130); 2013.

Brasil. Portaria nº. 1369, de 08 de julho de 2013. Dispõe sobre a implementação do Projeto Mais Médicos para o Brasil. Brasília: Brasília, DF. 1(130); 2013.

Brasil. Mais Médicos Legislação. http://maismedicos.gov.br/legislacao. Acesso em: 26 jul. 2018.

Brasil. Lei nº. 12871, de 22 de outubro de 2013. Instituí o Programa Mais Médicos [...] e dá outras providências. Brasília, DF.1(465); 2013.

Oliveira JPA, Sanchez MN, Santos LMP. O Programa Mais Médicos: provimento de médicos em municípios brasileiros prioritários entre 2013 e 2014. Ciênc Saúde Colet 2016; 21(9): 2719-27.

Brasil. Edital nº 8, de 4 de julho de 2018. Prorrogação da adesão dos médicos formados em Instituições de Educação Superior brasileiras e estrangeiras, participantes do Projeto Mais Médicos Para o Brasil [...]. Brasília, DF. 3(130); 2018.

Organização Pan-Americana da Saúde. OPAS/OMS, Brasil e Cuba renovam acordo de cooperação do Programa Mais Médicos. https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5228:opas-oms-brasil-e-cuba-renovam-acordo-de-cooperacao-do-programa-mais-medicos&Itemid=834. Acesso em: 26 jul. 2018.

Facchini LA, et al. Avaliação de efetividade da atenção básica à saúde em municípios das regiões Sul e Nordeste do Brasil: contribuições metodológicas. Cad Saúde Pública 2008; 24(1): 159-72.

Kind L. Notas para o trabalho com a técnica de grupos focais. Psicologia em Revista 2004; 10(15): 124-36.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12a. ed. São Paulo: Hucitec; 2010.

Ramos MZ, et al. Trabalho, adoecimento e histórias de vida em trabalhadoras da indústria calçadista. Estudos de Psicologia, maio-agosto/2010; 15(2): 207-15.

Antunes R, Praun L. A sociedade dos adoecimentos no trabalho. Serv. Soc. Soc., São Paulo, jul./set. 2015; 123: 407-27.

Portaria nº 1.823, de 23 de agosto de 2012. Institui a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 24 de agosto de 2012, nº 165, Seção I, p. 46-51.

Brasil. Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário. Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar. http://www.mda.gov.br/sitemda/secretaria/saf-creditorural/sobre-o-programa. Acesso em 05.01.2017.

Gramsci A. Concepção dialética da história. 4a ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; 1981.

Berlinguer G. Storia della Salute: da privilegio a diritto. Firenze: Giunti; 2011.

García JC. 1848: o nascimento da medicina social. In: Nunes ED (org.) Juan César García: Pensamento social em saúde na América Latina. São Paulo: Cortez Editora; 1989. p. 159-66.

Westphal MF. Promoção da saúde e prevenção de doenças. In: Campos GWS et al. (org.) Tratado de saúde coletiva. Rio de Janeiro: Fiocruz/Hucitec; 2008. p. 665-7.

Santos MS. Virchow: medicina, ciência e sociedade no seu tempo. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra; 2008. p. 53.

Coelho AR. (Tese). O urbano e o sanitário na globalização – Estudo de questões urbanas e sanitárias na cidade de Florianópolis/SC. Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública/UFSC, Florianópolis. 1998.

Serenko AF, Ermakov VV. Higiene social y organización de la salud pública. Danívola IV (trad.). Moscou: Mir Moscú; 1984.

Rocha PR, David HMSL. Determinação ou determinantes? Uma discussão com base na teoria da produção social da saúde. Rev Esc Enferm USP 2015; 49(1): 129-35.

Barata R. Epidemiologia Social. Rev Bras Epidemiol 2005; 8(1): 7-17.

Abbagnano N. Dicionário de Filosofia. Edição revista e ampliada. 5a. ed. São Paulo: Martins Fontes; 2007. p. 977-78.

Marques C. (Dissertação). A superação do problema da realidade no primeiro Heidegger. Programa de Pós-Graduação em Filosofia/PUCRS, Porto Alegre. 2016.

Engels F. The condition of the working class in England. 1845. https://www.marxists.org/archive/marx/works/1845/condition-working-class/. Acesso em: 26 jul. 2018.

Medina G, Novaes E. Percepção dos agricultores familiares brasileiros sobre suas condições de vida. Interações jul./dez. 2014; 15(2): 385-97.

Bezerra IC, et al. “Fui lá no posto e o doutor me mandou foi pra cá": processo de medicamentalização e (des)caminhos para o cuidado em saúde mental na Atenção Primária. Interface (Botucatu) 2014; 18(48): 61-74.

Brasil. Portaria nº 2.436 de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de

Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html. Acesso em: 26 jul. 2018.

De Paula, J. B (Tese). Análise do ciclo de política do Programa Mais Médicos no Brasil: Cooperação Cuba Brasil e seus efeitos para o trabalho médico. Programa de Doutorado de Saúde Global e Sustentabilidade/USP, São Paulo. 2017.




Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.