Indicadores Antropométricos E Fatores Socioeconômicos De Mulheres Quilombolas Amazônidas

Regiane Padilha dos Santos, Laize Santos da Cruz Oliveira, Irland Barroncas Gonzaga Martens, Amanda de Nazaré Franco Arede, Edson Marcos Leal Soares Ramos, Elizio Rodrigues Azevedo

Resumo


O corrente estudo teve por objetivo associar os fatores antropométricos de índice de massa corporal (IMC) e circunferência da cintura (CC) com os socioeconômicos das mulheres adultas em uma comunidade remanescente de quilombo. Participaram do estudo 64 mulheres adultas de 20 a 59 anos de idade residentes da Comunidade Mangueiras, localizada na Ilha do Marajó, Pará. Utilizou-se para a relevância estatística a análise descritiva e análise de correspondência. Constatou-se que 57,81% das mulheres participantes apresentam sobrepeso/obesidade, de acordo com a CC 76,56% apresentam risco de desenvolver doenças cardiovasculares. O sobrepeso está vinculado a CC aumentada, as variáveis ocupação e baixa escolaridade apresentaram relação estatisticamente relevante com o estado nutricional de sobrepeso. O predomínio do estado nutricional de sobrepeso e consequentemente o risco de desenvolvimento das doenças cardiovasculares associado a condições socioeconômicas desfavoráveis demonstram a vulnerabilidade social e transição nutricional em que os indivíduos se encontram, ratificando a necessidade de políticas públicas adequadas para tratar e prevenir o estado de saúde de tais comunidades em suas particularidades.


Palavras-chave


Saúde; Saúde Coletiva; Políticas de Saúde

Texto completo:

PDF


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.