O pensamento visual no design de produtos: aplicações de técnicas para a criatividade

Eduardo Cardoso, Tânia Luísa Koltermann da Silva, Stefan von der Heyde Fernandes

Resumo


O presente artigo apresenta a pesquisa realizada sobre as interações entre o pensamento visual e a as fases do desenvolvimento de novos produtos, por meio de técnicas criativas que utilizem a representação gráfica como forma de auxílio ao pensamento criativo. Para tanto, apresenta-se quatro diferentes técnicas criativas que utilizam representações gráficas e formas visuais de comunicação aplicadas a um problema de projeto: artefato de auxílio ao transporte de crianças em diferentes meios. A partir disso, pode-se compreender o papel do pensamento visual no processo de desenvolvimento de produtos e como pode influenciar positivamente na capacidade criativa do designer.


Palavras-chave


Design de Produto; Criatividade; Pensamento Visual

Texto completo:

PDF/A

Referências


REFERÊNCIAS

ALENCAR, E. S. DE. A Gerência da Criatividade. São Paulo: Makron, 1996.

ALMENDRA, R.; CHRISTIAANS, H. “Design Thinking”: The Emperor’s New Suit. Design Principles and Practices: An International Journal - Annual Review, v. 6, n. 1, p. 97–108, 2012.

ARNHEIM, R. El Pensamiento Visual. Barcelona: Paidos, 1986.

BACK, N.; DIAS, A.; OGLIARI, A.; SILVA, J. C. DA. Projeto Integrado de Produtos: planejamento, concepção e modelagem. Barueri, SP: Manole, 2008.

BAXTER, M. Projeto de produto: guia prático para o design de novos produtos. 2° ed. São Paulo: Edgard Blucher, 2000.

BEEMAN, M.; KOUNIOS, J. The Aha! Moment: The Cognitive Neuroscience of Insight. Current Directions in Psychological Science, v. 18, n. 4, p. 210–216, 2009.

BONO, E. DE. O Pensamento Criativo. Petrópolis: Vozes, 1970.

BROWN, T. Design Thinking: uma abordagem poderosa para decretar o fim das velhas ideias. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

BÜRDEK, B. E. Design: história, teoria e prática do design de produtos. São Paulo: Edgard Blücher, 2006.

BUZAN, T.; BUZAN, B. El Libro de los Mapas Mentales: cómo utilizar al máximo las capacidades de la mente. Barcelona: Urano, 1996.

CARDOSO, R. Design para o Mundo Complexo. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

COOPER, A. The Inmates are running the asylum: Why high-tech products drive us crazy and how to restore the sanity. Sams Publishing, 2004.

CROSS, N. Designerly Ways of Knowing. Londres: Springer, 2007.

FLUSSER, V. O Mundo Codificado: por uma filosofia da comunicação. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

GOLDSCHMIDT, G. On visual design thinking: the vis kids of architecture. Design Studies, v. 15, n. 2, p. 158–174, 1994.

GOMES, L. V. N. Desenhismo. 2o ed. Santa Maria: UFSM, 1996.

KNELLER, G. F. Arte e Ciência da Criatividade. 5° ed. São Paulo: IBRASA, 1978.

LAWSON, B. How Designers Think: The design process demystified. 4th ed. Elsevier, 2005.

LELIE, C. VAN DER. The value of storyboards in the product design process. Personal and Ubiquitous Computing, v. 10, n. 2-3, p. 159–162, 2005. Disponível em: . Acesso em: 2/5/2014.

LIDWELL, W.; HOLDEN, K.; BUTLER, J. Princípios Universais do Design. Porto Alegre: Bookman, 2010.

LÖBACH, B. Design Industrial: bases para a configuração dos produtos industriais. São Paulo: Edgard Blücher, 2001.

LUPTON, E. Intuição, ação, criação: graphic design thinking. São Paulo: G. Gili, 2013.

MEC – Ministério da Educação. Resolução n°5, de 8 de março de 2004. Aprova as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Design e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 15 mar. 2004. Disponível em < http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES02-04.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2013.

MUNARI, B. Das Coisas Nascem as Coisas. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

NORMAN, D. Design Emocional. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

ONTORIA PEÑA, A.; GÓMEZ, J. P.; RUBIO, A. M. Potencializar a capacidade de aprender e pensar: o que mudar para aprender e como aprender para mudar. São Paulo: Madras, 2004.

POMBO, F.; TSCHIMMEL, K. C. O Sapiens e o Demens no Pensamento do Design: a percepção como centro. Revista Design em Foco, v. 2, n. 2, 2005.

PRUITT, J.; ADLIN, T. The Persona Lifecycle: Keeping People in Mind Throughout Product Design (Google e-Livro). 2010.

RUNCO, M. A. Fourth Grade Slump. In: M. A. Runco; S. Pritzker (Eds.); Encyclopedia of Creativity. p.743–745, 1999. Academic Press.

RUSSO, B.; HEKKERT, P. Sobre Amar um Produto: os princípios fundamentais. In: C. Mont’alvão; V. Damazio (Eds.); Design Ergonomia Emoção. p.31–48, 2008. Rio de Janeiro: Mauad.

SCHÖN, D. A. Educando o Profissional Reflexivo. Porto Alegre: Penso, 2000.

TORRANCE, E. P. Criatividade: medidas, testes e avaliações. São Paulo: IBRASA, 1976.

TSCHIMMEL, K. C. Sapiens e Demens no Pensamento Criativo do Design, 2010. Tese (Doutorado em Design) - Universidade de Aveiro, Departamento de Comunicação e Arte.

VIANNA, M.; VIANNA, Y.; ADLER, I. K.; LUCENA, B.; RUSSO, B. Design Thinking. Rio de Janeiro: MJV Press, 2012.

WECHSLER, S. Criatividade: descobrindo e encorajando. São Paulo: Psy, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

indexadores