Estudo comparativo de avaliadores automáticos de acessibilidade web na avaliação formativa

Jefferson Ferreira Ribeiro, Bruno Santana da Silva

Resumo


Avaliação de acessibilidade é uma importante atividade no processo de design digital. Apesar de existirem softwares que realizam automaticamente a avaliação de acessibilidade web, pouco se investigou sobre os resultados apresentados por estes avaliadores automáticos, em particular considerando a avaliação formativa. Este trabalho apresenta um estudo que compara os resultados apresentados por oito avaliadores automáticos que são extensão de navegadores. Analisou-se a quantidade total de problemas reportados, bem como sua estratificação por tipo (erros e avisos), princípios e critérios violados, página e local de ocorrência dentro da página. Os resultados encontrados demonstram que cada avaliador se destaca em aspectos diferentes, sendo relevante a utilização de mais de um deles para uma cobertura mais ampla em diferentes aspectos. Os três avaliadores mais promissores foram AInspector, Accessibility Checker e Code Sniffer.


Palavras-chave


avaliação formativa, acessibilidade, wcag, emag

Texto completo:

PDF/A

Referências


Bach, C.F., Ferreira, S.B.L.; Silveira, D.S., & Nunes, R.R. (2009) Diretrizes de Acessibilidade: Uma Abordagem Comparativa entre WCAG e e-Mag. RESI: Revista Eletrônica de Sistemas de Informação, v. 8, p. 1-14.

Barbosa, S.D.J., & Silva, B.S. (2010) Interação Humano-Computador. Rio de Janeiro: RJ, Elsevier.

Brasil. Presidência da República. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em: . Acesso em junho de 2019.

eMAG. Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico (eMAG) 3.1. 2014. Disponível em: . Acesso em junho de 2019.

Freitas, R.F., Coutinho, S.G., & Nóbrega Waechter, H. (2013). Análise de Metodologias em Design: a informação tratada por diferentes olhares. Estudos em Design, 21(1), p.1-15.

Fuertes, J.L., González, R., Gutiérrez, E., & Martínez, L. (2009). Hera-FFX: a Firefox add-on for semi-automatic web accessibility evaluation. In Proceedings of the 2009 International Cross-Disciplinary Conference on Web Accessibililty (W4A) (W4A '09). ACM, New York, NY, USA, pp. 26-35.

Licheski, L.C., & Fadel, L.M. (2013). (In) acessibilidade digital. InfoDesign-Revista Brasileira de Design da Informação, 10(2), 104-122.

Mezzaroba, M. P., de Almeida, T. C., Ulbricht, V. R., Vanzin, T., & Fadel, L. M. (2016). Acessibilidade em portais de Governo Eletrônico do Poder Judiciário. InfoDesign-Revista Brasileira de Design da Informação, 13(1), 93-106.

Pacheco, H.S., Amorim, P F., Barbosa, P.G., & Ferreira, S. B. (2016). Comparative Analysis of Web Accessibility Evaluation Tools. In Proceedings of the 15th Brazilian Symposium on Human Factors in Computing Systems (p. 45). ACM.

Pivetta, E.M., Flor, C., Saito, D.S., & Ulbricht, V.R. (2013). Analysis of an automatic accessibility evaluator to validate a virtual and authenticated environment. International Journal of Advanced Computer Science and Applications (IJACSA), Vol. 4, No.4, pp. 15-22.

Souza, E. R., & Mont'Alvão, C. (2012). Web accessibility: evaluation of a website with different semi-automatic evaluation tools. Work, 41(Supplement 1), p. 1567-1571.

Souza, E., & Malheiros, N. (2018). Avaliação de Acessibilidade Digital para Pessoas com Deficiência Motora em Repositórios Educacionais Abertos. Revista Brasileira de Informática na Educação – RBIE, 26(03), 1.

W3C-Brasil. Cartilha de Acessibilidade na Web - W3C Brasil. 2013. Disponível em: . Acesso em junho de 2019.

WCAG2. Web Content Accessibility Guidelines (WCAG) 2.0. 2008. Disponível em: . Acesso em junho de 2019.

Yin R.K. (2003) Case study research. Design and methods, 3rd editon. London: SAGE Publications.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

indexadores