Afinal de contas, a Previdência tem déficit?

Autores

  • Clemente Ganz Lúcio
  • Clóvis Scherer

Resumo

O debate sobre a sustentabilidade financeira corrente e de longo prazo da Previdência requer que se compreenda que a Constituição Federal de 1988 criou um sistema de financiamento da proteção social com múltiplas e variadas fontes. A situação corrente do orçamento da Seguridade Social apresenta pequeno déficit relacionado à conjuntura econômica adversa e perda de receitas por desvinculações e desonerações. A década passada mostrou que um ambiente de crescimento econômico, geração de empregos e formalização são fatores que levam ao equilíbrio do orçamento da Seguridade e expansão da cobertura da proteção social.

Referências

ABÍLIO, Ludimilia. Uberização do trabalho: subsunção real da viração, 2017. Disponível em: <http://www.cesit.net.br/uberizacao-do-trabalho-subsuncao-real-da-viracao/>. Acesso em: 11 jul. 2018.

ANFIP – Fundação ANFIP de Estudos da Seguridade Social. Análise da Seguridade Social 2017. Brasília, 2018. Disponível em: <https://www.anfip.org.br/wp-content/uploads/2018/12/Livros_28_11_2018_14_51_18.pdf>. Acesso em: 21 mar. 2019.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS). Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdência Social: Grupo Técnico de Previdência GTP, 2016. 194 slides. Disponível em: < http://bibspi.planejamento.gov.br/bitstream/handle/iditem/718/Forum-RelatorioFinal.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 23 out. 2017

FILGUEIRAS, V. A.; KREIN, J. D. Reforma da previdência para quem? Proposta para uma reforma efetiva e pragmática, 2016. Disponível em: <http://plataformapoliticasocial.com.br/reforma-da-previdencia-para-quem/>. Acesso em: 4 mar. 2019.

FLEURY, S.; ALVES, R. Reforma previdenciária no Brasil em três momentos.Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 38, n. 6, p. 979 a 1022, jan. 2004. ISSN 1982-3134. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6768>. Acesso em: 20 jan. 2019.

MARINI, Luisa. Brasil deixou de arrecadar mais de R$ 345 bilhões por sonegação em 2018. 2018. Disponível em: <https://congressoemfoco.uol.com.br/economia/brasil-deixou-de-arrecadar-mais-de-r-345-bilhoes-por-sonegacao-em-2018/>. Acesso em: 10 mar. 2019.

OLIVEIRA, Tiago. Trabalho e padrão de desenvolvimento: uma reflexão sobre a reconfiguração do mercado de trabalho brasileiro, 2015. 247 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Economia, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/286533>. Acesso em: 26 ago. 2018.

OLIVEIRA, T.; PRONI, M.. Um mercado de trabalho heterogêneo e flexível: um problema persistente no Brasil. In: Revista da ABET, v. 15, n. 2, Jul-Dez/ 2016, p. 77.

RECEITA FEDERAL. CETAD - Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros. Carga Tributária no Brasil 2017: Análise por Tributos e Bases de Incidência. 2018. Disponível em: <http://receita.economia.gov.br/noticias/ascom/2018/dezembro/carga-tributaria-bruta-atingiu-32-43-do-pib-em-2017/carga-tributaria-2017-1.pdf>. Acesso em: fev. 2019.

Downloads

Publicado

2019-07-05

Edição

Seção

Artigos