PRÁTICAS LEAN HEALTHCARE NA GESTÃO DE SUPRIMENTOS EM UM HOSPITAL PÚBLICO

Autores

  • Ainã Pinheiro Lisboa Universidade Federal de Sergipe (UFS) Departamento de Engenharia de Produção
  • Cleiton Rodrigues de Vasconcelos Universidade Federal de Sergipe - UFS Departamento de Engenharia de Produção http://orcid.org/0000-0003-3318-2982

Palavras-chave:

melhoria de processos, hospital lean, suprimentos hospitalares.

Resumo

As unidades hospitalares são fundamentais à saúde da sociedade e a gestão eficiente de seus recursos possibilita um maior atendimento da demanda, desde a oferta de maior número de leitos, fornecimento de medicamentos e capacidade de profissionais de forma adequada. A gestão de materiais nos hospitais representa um grande impulsionador das operações em uma unidade, devido a capilaridade com outras áreas e o custo associado ao seu gerenciamento. A metodologia do trabalho considerou inicialmente o diagnóstico das áreas críticas do Hospital, seleção de setores e a estruturação das atividades para aplicação das ferramentas e técnicas lean. Como resultados, foram contemplados os setores de farmácia, posto de enfermagem, centro cirúrgico, sala de parto e pronto socorro do Hospital Maternidade, onde a utilização da gestão visual, sistema kanban, 5s e a identificação dos medicamentos por cores, foi possível a redução das taxas de erros no atendimento das solicitações, formulação de medidas de combate aos desperdícios na preparação da medicação, melhorias na produtividade dos profissionais de saúde e desenvolvimento de indicadores para a gestão hospitalar.

Biografia do Autor

Ainã Pinheiro Lisboa, Universidade Federal de Sergipe (UFS) Departamento de Engenharia de Produção

Graduada em Engenharia de Produção

Cleiton Rodrigues de Vasconcelos, Universidade Federal de Sergipe - UFS Departamento de Engenharia de Produção

Doutor em Ciência da Propriedade IntelectualMestre em Engenharia de ProduçãoGraduado em Administração de Empresas

Referências

ANAHP, Associação Nacional de Hospitais Privados. Observatório 2018. São Paulo–Edição, 2018.

ANVISA. Profissionais de Saúde. Site da Anvisa. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/hotsite/fraciona/perguntas_respos‑tas_profissionais.htm#2>. Acesso em: 06 junho 2018.

BARBER, R. M. FULLMAN, N., SORENSEN, R. J., BOLLYKY, T., MCKEE, M.; NOLTE, E.; ABD-ALLAH, F. Healthcare Access and Quality Index based on mortality from causes amenable to personal health care in 195 countries and territories, 1990–2015: a novel analysis from the Global Burden of Disease Study 2015. The Lancet, v. 390, n. 10091, p. 231-266, 2017.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Comissão da Farmacopeia Brasileira. Formulário Nacional da Farmacopeia Brasileira. 2ª edição. Brasília: Agência Nacional de Vigilância Sanitária, 2011. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/farmacopeiabrasileira/arquivos/FNFB%202%20Vers%C3%A3. Acesso em: 13 maio 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Projeto Lean nas Emergências. Disponível em: https://saude.gov.br/saude-de-a-z/projeto-lean-nas-emergencias. Acesso em: 13 maio 2020.

CAUCHIK, P. A. M.; SOUSA, R. Metodologia de pesquisa em engenharia de produção e gestão de operações. 2ª edição. Editora Campus, 2012.

CNES. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Disponível em: http://cnes.datasus.gov.br/. Acesso em: 13 maio 2020.

DÁVILA, S. Pineda; GONZÁLEZ, J. Tinoco. Mejora de la eficiencia de un servicio de rehabilitación mediante metodología Lean Healthcare. Revista de Calidad Asistencial, v. 30, n. 4, p. 162-165, 2015.

DE SOUZA, L. B. Trends and approaches in lean healthcare. Leadership in Health Services, vol. 22, n. 2, p. 121-139. 2009.

ESSINGER, L. A.; DINIZ, D. S.; ASCENÇÃO, A. M. S. Implantação do kanban como indutor da melhora do fluxo dos pacientes na emergência de hospital geral. Difusão do Conhecimento Através das Diferentes Áreas da Medicina, vol. 4, p. 216-228. 2019.

FIOCRUZ. Fundação Oswaldo Cruz. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/noticia/relatorio-aponta-reducao-no-numero-de-leitos-no-brasil. Acesso em: 13 maio 2020.

GEORGE, M. L. Lean Seis Sigma para Serviços. 1ed. Rio de Janeiro: Quality Mark, 2004.

GOMES, M. J. V. M.; Reis, A. M. M. Ciência Farmacêutica uma abordagem em Farmácia Hospitalar, 1 ed. São Paulo, Atheneu, 2000.

GRABAN, M. Hospitais Lean. 2 ed. Porto Alegre, Editora Bookman, 2013.

ISMP - Institute for Safe Medication Practices. List of high-alert medications in acute care settings. 2018. Disponível em: https://www.ismp.org/recommendations/high-alert-medications-acute-list Acesso em: 12 dezembro 2018.

KOSKELA, Lauri et al. An exploration towards a production theory and its application to construction. VTT Technical Research Centre of Finland, 2000.

LAREAU, W. Office Kaizen: transforming office operations into a strategic competitive advantage. USA: ASQ Quality Press, 2002.

MILLER, R.; CHALAPATI, N. Utilizing lean tools to improve value and reduce outpatient wait times in an Indian hospital. Leadership in Health Services, vol. 28, n. 1, p. 57-69. 2015.

NASCIMENTO, A. L. FRANCISCHINI, P. G. Caracterização de Sistema de Operações de Serviço Enxuto. PIC-EPUSP, .n.2, p. 1104-1137, 2004.

NICHOLS, L. Increasing competitiveness via continuous improvement. Metal finishing, vol. 108, n. 1, 15-17. 2010.

PORTAL DA ENFERMAGEM. Disponível em: https://www.portaldaenfermagem.com.br/destaque_read.asp?id=1208. Acesso em: 13 maio 2020.

REGIS, T. K. O.; GOHR, C. F.; SANTOS, L. C. Implementação do lean healthcare: experiências e lições aprendidas em hospitais brasileiros. Revista Administração de Empresas – FGV EAESP, São Paulo, v. 58, n. 1, p. 30-43, 2018.

SHINGO, S. O sistema Toyota de produção: Do ponto de vista da engenharia de produção. Porto Alegre. Editora Bookman, 1996.

SUÁREZ-BARRAZA, M. F.; MIGUEL-DÁVILA, J. Á. Encontrando al Kaizen: Un análisis teórico de la mejora continua. Revista Pecvnia, vol.7, p. 285-311. 2008.

SULLIVAN, P.; SOEFJE, S., REINHART, D., MCGEARY, C., CABIE, E. D. Using lean methodology to improve productivity in a hospital oncology pharmacy. American Journal of Health-System Pharmacy, v. 71, n. 17, p. 1491-1498, 2014.

TAPPING, D.; SHUKER, T. Value stream management for the lean office: 8 steps to planning, mapping, and sustaining lean improvements in administrative areas. USA: Productivity Press, 2003.

TOURANI, S. The idea of lean hospital. Hospital Practices and Research, vol. 2, n. 2, p. 27-28. 2017.

TOUSSAINT, J.; GERARD R. A. Uma transformação na saúde: Como reduzir custos e oferecer um atendimento inovador. Bookman. Porto Alegre, 2012.

WOMACK, J.P.; JONES, D.T.; ROOS, D. A Máquina que Mudou o Mundo. 7ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

WOMACK, J. P. & JONES, D. T. Lean thinking – banish waste and create wealth in your corporation. Nova Iorque: Simon & Schuster. 1996.

WOMACK, J. P.; BYRNE, J. P; FIUME, A. P.; KAPLAN, G. S, & TOUSSAIN, J. T. Going lean in health care. Institute for Healthcare Improvement, 2005.

ZATTAR, I. C.; DA SILVA, R. R. L.; BOSCHETTO, J. W. Application of lean tools in health care: a literature review. Journal of Lean Systems, v. 2, n. 2, p. 68-86, 2017.

ROMAN, D. J., MARCHI, J. J., FORCELLINI, F. A., & ERDMANN, R. H.. Lean Service: Aplicação do Mapeamento do Fluxo de Valor em uma organização de serviços. Revista Gestão Industrial, v. 9, n. 4, 2014.

Downloads

Publicado

2020-08-12

Edição

Seção

Artigos