Aplicação da tecnologia assistiva para o desenvolvimento de uma classe ajustável para cadeirantes

Autores

  • Jaqueline Menezes Krüger UNISC
  • Alexandre Rodrigues Ferreira Universidade Federal de Santa Maria

Palavras-chave:

Tecnologia assistiva, Portadores de necessidades Especiais, Mobiliário Escolar, Inclusão social, Cadeirante.

Resumo

Referindo-se a um projeto direcionado para Portadores de Necessidades Especiais (PNE), com o apoio da tecnologia assistiva, este trabalho estabelece uma relação direta do ambiente alfabetizador com a responsabilidade da inclusão social. Isso a partir do desenvolvimento de um mobiliário escolar universal. Partindo da fundamentação do tema e, por meio dos pontos negativos identificados nos produtos comercializados dessa ordem, foram determinadas as metas a serem exercidas no atual projeto, visando soluções cabíveis e práticas. O projeto desse mobiliário escolar ajustável para PNE constitui uma forma de integração do aluno cadeirante à sala de aula. Não houve adaptações grosseiras ou provisórias com base no estudo formal adequado e inovador a partir das restrições ergonômicas e, aliado à aplicação de materiais adequados à tarefa. Como resultado, a classe ajustável para cadeirantes concentra caracteristicas estruturais benéficas e qualidades intrínsecas de bem-estar e satisfação ao usuário. Bem como sua função específica de uso durante o aprendizado e trabalho, dispondo de atributos inclusivos à sociedade. 10.13084/2175-8018.v05n09a03

Biografia do Autor

Jaqueline Menezes Krüger, UNISC

Possui graduação em Design pelo Centro Universitário Franciscano (2011). Tem experiência na área de Criação e Produção, com ênfase em Desenvolvimento de Produto. Atualmente, mestranda no Programa de Pós Graduação em Sistemas Industriais da Universidade de Santa Cruz do Sul.

Alexandre Rodrigues Ferreira, Universidade Federal de Santa Maria

Graduação em Design de Produto pelo Centro Universitário Franciscano (UNIFRA/2005) e Mestrado em Engenharia de Produção (UFSM/2008). Fez parte do quadro docente de Março de 2009 a Dezembro de 2012 como professor assistente do curso de Design e Arquitetura de Urbanismo do Centro Universitário Franciscano.

Referências

ALIBABA. Disponível em: <http://portuguese.alibaba.com/product-gs/high-quality-school-furniture-338950290.html>. Acesso em: 01 Mai. 2011.

ALVES, D. O. Sala de recursos multifuncionais: espaços para atendimento educacional especializado. Brasília: Ministério da Educação. Secretaria de Educação

ASSIS, Caroline Penteado de; MARTINEZ, Cláudia Maria Simões. A inclusão escolar e utilização de tecnologia assistiva para alunos com sequelas de mielomeningocele: opinião dos professores. Rev. Educ. Espec., Santa Maria, v. 24, n. 39, p. 93-112, jan./abr. 2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Móveis escolares, cadeiras e mesas para conjunto aluno individual. Rio de Janeiro: ABNT, 2008.

BEZERRA, Jorbson. Educacional. Disponível em: <http://www.educacional.com.br/articulistas/outrosEducacao_artigo.asp?artigo=artigo0045>. Acesso em: 11 Mai. 2011.

BONSIEPE, Gui et al. Metodologia Experimental: Desenho Industrial. Brasília: CNPq/Coordenação Editorial, 1986.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Portadores de Deficiências Físicas. Acessibilidade e utilização dos equipamentos escolares. Caderno Técnico I n° 1. Brasília: Programa de Educação Básica para o Nordeste, 1997.

BRASIL. Subsecretaria Nacional de Promoção dos direitos da pessoa com deficiência -

BRASILIA. Ministério da Educação. Ensino fundamental: mobiliário escolar. Cadernos Técnicos I n°3. Brasília: FUNDESCOLA – MEC, 1999.

BRINQI. Disponível em: <http://www.brinqi.com.br/novo/produto_view.php?id=422>. Acesso em: 01 Mai. 2011.

COPLEY, J.; ZIVIANI, J. Barriers to the use of assistive technology for children with

CORDE. Comitê de ajudas técnicas, 2007. Disponível em: <http://portal.mj.gov.br/corde> Acesso em: 19 set. 2013.

Disponível em: <http://www.arquitecturaacessivel.com/homepage/aduniversal.html> Acesso em: 21 de Abr. 2011.

FERREIRA, Carlos Alberto Mattos; RAMOS, Maria Inês Barbosa. Psicomotricidade: educação especial e inclusão social. Rio de Janeiro: Wak Ed., 2007.

FERROLI, P.C. et al. Método paramétrico aplicado em design de produtos. Revista Produção Online. Florianópolis, v. 7, n. 3, 2007.

FILHO, João Gomes. Ergonomia do objeto: sistema técnico de leitura ergonômica. São Paulo, SP: Ed. Escrituras, 2003.

FLANAGAN, S.; BOUCK, E.C.; RICHARDSON; J. Middle School Special Education Teachers’ Perceptions and Use of Assistive Technology in Literacy Instruction. Assistive Technology: the Official Journal of RESNA. London, UK.25:1, 24-30. Jan 2013.

IBGE. CENSO DEMOGRAFICO 2000. Disponível em: Acesso em: 22 Abr. 2011.

JUTAI, J. et al. Outcomes measurement of assistive technologies: an institutional case study. Technology: the Official Journal of RESNA. London, UK. 8:2, 110-120, 2010.

LIMA, M.A.M. Introdução aos materiais e processos para designers. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda., 2006.

LÖBACH, Bernd. Design Industrial: bases para a configuração dos produtos industriais. Rio de Janeiro: Ed. E. Blücher, 2000.

LOVARINI, M.; MCCLUSKEY, A.; CURTIN, M. Editorial: Critically Appraised Papers Limited high-quality research on the effectiveness of assistive technology. Australian Occupational Therapy Journal, v. 50, p. 53, 2006.

MAIA, F.; NIEMEYER, L.; FREITAS, S. Tecnologia Assistiva: entendendo o processo. In: MORO, A.R.P. Ergonomia da sala de aula: constrangimentos posturais impostos pelo mobiliário escolar. Buenos Aires, n. 85, jun. 2005. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd85/ergon.htm> Acesso em: 29 Abr. 2011.

multiple disabilities. Occupational Therapy International, v.11, n.4, p.229-43, 2004.

NOVOTEC. Disponível em: Acesso em: 01 Mai. 2011.

OLIVEIRA, M.. 2011. Cadeirantes ainda enfrentam dificuldades. Disponível em:< http://www.nossametropole.com.br/noticias-geral/11220-cadeirantes-ainda-enfrentam-dificuldades-leis-nao-sao-respeitadas-em-camacari.html>. Acesso em: 16 Mai. 2011.

PANERO, J.; ZELNIK, M. Dimensionamento humano para espaços interiores: um livro de consulta e referência para projetos. México: GG, 2002.

PENNY, R.; GAYL, B. Consultation, Collaboration, and Coaching: Essential Techniques for Integrating Assistive Technology Use in Schools and Early. Journal of Occupational Therapy, Schools, & Early. London, v. 5, n. 1, p. 15-30, 2012.

PERI MÓVEIS. Disponível em: <http://www.perimoveis.com.br/escolar01.php> Acesso em: 25 Mai. 2011.

SASSAKI, R.K. Inclusão: Construindo uma sociedade para todos. 5 ed. Rio de Janeiro: WVA, 2002.

SCHERER, M. J. et al. Predictors of assistive technology use: The importance of personal and psychosocial factors. Disability and Rehabilitation, v. 27, n. 21, p.1321-1331, 2005.

SEM BARREIRAS. Mobiliário escolar. Disponível em: <http://www.sembarreiras.pt/shop/Mobili%C3%A1rio-escolar-c-58.html> Acesso em: 25 Mai. 2011.

SIMÕES, Darcilia; POLTRONIERI, Ana Lucia; FREITAS, Maria Noêmi (Orgs.). A contribuição da semiótica no ensino e na pesquisa. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2010.

SIMÕES, J.F. Manual de apoio às ações de formação do projeto Design Inclusivo. Iniciativa Equal. 2007.

TAKATORI, M. O brincar no cotidiano da criança com deficiência física: reflexões sobre a clínica da Terapia Ocupacional. São Paulo: Atheneu, 2003.

TEAGUE, P. WILSON, R. Exclusão social, inclusão social. Rumo a uma sociedade inclusiva. Belfast, UK: Diálogo Democrático, v. 2, 1995.

UMPHRED, D.A. Fisioterapia Neurológica. São Paulo, SP: Manole, 1994.

VARELA, Renata Cristina Bertolozzi; OLIVER, Fátima Corrêa. A utilização de Tecnologia Assistiva na vida cotidiana de crianças com deficiência. Ciência & Saúde coletiva [online], v. 18, n. 6, p. 1773-1784, 2013.

VASCONCELOS, Luciana Rodrigues; PAGLIUCA, Lorita Marlena Freitag. Mapeamento da acessibilidade do portador de limitação física a serviços básicos de saúde. Escola Anna Nery, v. 10, n. 3, p. 494-500, 2006.

Downloads

Publicado

2013-09-23

Edição

Seção

Artigos