Refletindo a ação comunicativa de Habermas como fator de qualificação do atendimento ao trauma

Patricia Ilha, Darla Luisa Ropelato Fernandez, Francis Solange Vieira Tourinho, Sarah Soares Barbosa, Priscilla de Souza Kreusch, Evanguelia Kotzias Atherino Santos

Resumo


Objetivo: Este estudo teve por objetivo refletir sobre a importância e a intervenção dos fatores de comunicação no atendimento aos pacientes acometidos de trauma e também sobre como qualificá-los a partir da Teoria da Comunicação de Habermas. Método: Estudo reflexivo à luz do referencial teórico de Habermas. Resultados e Conclusão: Diante de diversos fatores de intervenção da comunicação, é importante que os profissionais e as instituições de saúde criem sistemas de comunicação efetivos de acordo com seus perfis e necessidades, para que possam construir, então, uma cultura de comunicação que acabe por qualificar o atendimento ao paciente de trauma, considerando que os principais riscos à sua segurança envolvem falhas comunicativas. Implicações para a prática: Os profissionais e instituições acabarão potencializando tanto a relação interdisciplinar e autoconfiança da equipe, quanto à relação entre instituição, equipe, paciente e família, trazendo a comunicação como um fator positivo e colaborador do trabalho em saúde.

Palavras-chave


Traumatologia; Enfermagem em Emergência; Comunicação; Segurança do Paciente; Filosofia em Enfermagem.

Texto completo:

PDF


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.