PROGRAMA MAIS MÉDICOS EM SANTA CATARINA: DE NECESSIDADE HISTÓRICA À PRODUÇÃO DE BEM A QUEM TEM BEM

Rita de Cássia Gabrielli Souza Lima

Palavras-chave


Saúde coletiva; Atenção Primária; Sistema Único de Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


- Spriano P. (Org.). Antonio Gramsci, Lettere dal carcere. Torino: Einaudi; 2014.

- Coutinho CN. O Conceito Gramsciano de “vontade coletiva”. In: Semeraro G, et al. (org.). Gramsci e os movimentos populares: Rio de Janeiro: Editora UFF; 2011. p. 45-52.

- Brasil. Ministério da Saúde. Seminário Mais Médicos. Universidade Federal de Santa Catarina. 2014. http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2014/07/numero-de-consultas-medicas-sobe-38-8-em-santa-catarina-10-meses-apos-inicio-do-programa-mais-medicos-4540560.html Acesso em 24.04.2017.

- Supremo Tribunal Federal. Diniz D. Audiência pública da judicialização da Saúde. http://www.stf.jus.br/portal/cms/verTexto.asp?servico=processoAudienciaPublicaSaude&pagina=Cronograma Acesso em 10.01.2017.

- Minayo MCS. Construção de indicadores qualitativos para avaliação de mudanças. Rev. bras. educ. med. 2009; 33(supl. 1): 83-91.

- Lima RCGS et al. Tutoria acadêmica do Projeto Mais Médicos para o Brasil em Santa Catarina: perspectiva ético-política. Ciênc. saúde coletiva 2016; 21( 9 ): 2797-2805.

- Facchini, LA, et al. Avaliação de efetividade da Atenção Básica à Saúde em municípios das regiões Sul e Nordeste do Brasil: contribuições metodológicas. Cad. Saúde Pública 2008; 24(Supl 1):S159-S72




Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.