Estresse - normal ou patológico?

Cláudia Cristiane Filgueira Martins, Francis Tourinho, Viviane Santos

Resumo


RESUMO

Trata-se de um ensaio teórico com o propósito de discutir acerca do estresse no mundo moderno. A fim de subsidiar tal discussão, foram escolhidos os aspectos centrais da obra o Normal e o Patológico de Georges Canguilhem. Sabe-se que o estresse é um mediador fisiológico que está presente tanto nos momentos de emoções positivas como nas negativas, e o corpo humano é preparado para enfrentar situações estressantes pontuais, bem como adaptar-se a elas. No entanto, o que se vivencia na atualidade é o enfrentamento permanente dessas situações, o que acaba trazendo o colapso para o organismo e, por conseguinte, as patologias, levando a reflexos sobre o estresse como elemento normal ou patológico na forma de andar a vida.

 

ABSTRACT

This is a reflection that aimed to discuss about the stress as a disease of the modern world. In order to support such a discussion, we chose the main aspects of the work The Normal and the Pathological, from Georges Canguilhem. It is known that stress is a physiological mediator that is present both in moments of positive and negative emotions, and the human body is prepared to face specific stressful situations, as well as adapt to them. However, what we are currently experiencing is the permanent confrontation of these situations, which ultimately brings the body to collapse and therefore pathologies, leading to reflections on stress as normal or pathological element of living.

Descriptors: Stress. Pathology. Human Body.


Palavras-chave


Estresse. Patologia. Corpo Humano

Texto completo:

PDF/A

Referências


Dias DAS. Moreira JO. As vicissitudes do normal e patológico: relendo Canguilhem. Rev. Psicologia e Saúde ano?. 3(2): 77-85. Acesso em: 15 ago 2012. Disponível em: http://www.gpec.ucdb.br/pssa/index.php/pssa/article/viewFile/84/154

Canguilhem G. O normal e o patológico. 7ºed. Rio de Janeiro (RJ): Forense Universitária; 2011.

Arberx APS. Souza KR. Mendonça ALO. Trabalho docente, readaptação e saúde: experiências dos professores de uma universidade pública. Physis: Rev. Saúde Coletiva. 2013 [acesso em 2014 set 25]; 23(1): 263-84. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/physis/v23n1/15.pdf >

Guattari F. As três tecnologias. 11º ed. Campinas (SP): Papirus; 1990.

Costa LS. Santos M. Fatores psicossociais de risco no trabalho: lições aprendidas e novos caminhos. International Journal on Working Conditions, No. 5, June 2013; [acesso 2014 set 25] p.40-58. Disponível em: < http://ricot.com.pt/artigos/1/IJWC.5_LSCosta.MSantos_39.58.pdf>

Silva JJ. Estresse: o impulso da vida. São Caetano do Sul (SP): Yendis Editora; 2005.

Lazarus RS; Folkman, S. Stress, appraisal and coping. New York, Springer, 1984.

OMS [página da internet] CIDADE, ANO, [Atualizado em, acesso em: http://www.who.int/occupational_health/en/oehstrategy.pdf.

Bonneti A. O ser doente: uma reflexão à luz de Georges Canguilhem. Rev. Pensar a Prática. 2004[acesso em 2012 set38] 7(1); Disponível em: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fef/article/view/65/2683.

Lago, K.; Codo, W. (org). Fadiga por compaixão: o sofrimento dos profissionais em saúde. Petrópolis: Vozes, 2013.

Selye H. Stress: a tensão da vida. 2ºed. São Paulo (SP): IBRASA; 1986.

Portocarrero V. As ciências da vida: de Canguilhem a Foucault. Rio de Janeiro (RJ): Fiocruz; 2009

Santos MTF. Estresse e os modos de andar a vida: subsídios de Georges Canguilhem para uma etnoepidemiologia da Síndrome Geral da Adaptação na cidade de São Paulo [tese]. São Paulo (SP): Universidade Federal de São Paulo; Programa de Pós Graduação em 2010 [acesso em 20 ago 2012]. Disponível em:

Schmidt, DRC, Dantas RAS, Marziale MHP, Laus AM. Estresse ocupacional entre profissionais de enfermagem do bloco cirúrgico. Texto Contexto Enferm. 2009 [acesso em 2012 set 28]. 18(2):330-7. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/tce/v18n2/17.pdf>

Ballone G.J. Estresse e Trabalho. Disponível em: . Acesso em: 01 set 2012.




Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.