A elaboração de um plano operativo para a farmácia básica de um município no noroeste do estado Paraná

Kely Cristina Enumo Bortoli, Fabiola Stolf Brzozowski

Resumo


O presente artigo trata da utilização de método de Planejamento Estratégico Situacional (PES) de Carlos Matus, na gestão dos serviços de saúde, mais especificamente da farmácia de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) de um município do noroeste do estado do Paraná. Foi elaborado um Plano Operativo (PO) para a resolução de um problema priorizado, que foi criar um protocolo para dispensação de insumos para insulinodependentes, visando melhorar a assistência farmacêutica. Durante este processo, houve a participação de vários atores envolvidos com a assistência farmacêutica do município. Foi possível observar que o PES pode ser uma prática cotidiana nos serviços de saúde, detectando os principais problemas e, por meio da participação dos atores envolvidos, encontrar soluções viáveis para resolvê-los.


 

Abstract: This article aims to report an experience of the Situational Strategic Planning (SSP) method, developed by Carlos Matus, in the management of health service, specifically in a public pharmacy of a city in the northwest of Paraná. An Operative Plan (OP) was formulated to solve the prioritized problem. In this case, the prioritized problem was to create a dispensation protocol of raw materials for “insulin dependent” person, to improve the pharmaceutical assistance. During this process, many actors who work in the pharmaceutical assistance have participated in the planning processes. We observed that the SSP could be used daily in the public health services. It can help to detect the main problems and solve them, by using a participative method.

Keywords: Strategic Planning; Pharmaceutical Services; Pharmaceutical Raw Materi




Palavras-chave


Planejamento Estratégico; Assistência Farmacêutica; Insumos Farmacêuticos

Texto completo:

PDF/A

Referências


Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 338, de 6 de maio de 2004. Aprova a Política Nacional de Assistência Farmacêutica. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília: Ministério da Saúde. 1(96); 2004.

Marin, N. et al. Assistência farmacêutica para gerentes municipais de saúde. Rio de Janeiro: OPAS/ OMS; 2003.

Brasil. Lei n. 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília (DF); 1990a. http://conselho.saude.gov.br/legislacao/lei8080_190990.htm. Acesso em: 08.08.2015.

Brasil. Lei n. 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde – SUS e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília (DF); 1990b. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8142.htm. Acesso em: 01.12.2015.

CRF/MG, Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais. A importância do farmacêutico no SUS: suas competências e atribuições nas ações de saúde pública. 1ª ed. Belo Horizonte: CRF/MG; 2011.

Brasil. Portaria n. 371/GM, de 04 de março de 2002. Diário Oficial da União, Brasília (DF); 2002. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt0371_04_03_2002_rep.html. Acesso em: 01.12.2015.

Pereira, L. R. L. et al. Avaliação de prescrições de medicamentos para pacientes com Diabetes Mellitus atendidos por uma Unidade Básica de Saúde. Rev. Ciênc. Farm. Básica Apl. 2005; 26(3): 199-203.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diabetes Mellitus, Caderno de Atenção Básica – nº 16, Série A: Normas e Manuais Técnicos. Brasília (DF); 2006.

SBD, Sociedade Brasileira de Diabetes. Atlas do Diabetes 2014: Atualização. 6ª ed.; 2014. http://www.diabetes.org.br/images/pdf/Atlas-IDF-2014.pdf. Acesso em: 05.08.2015.

Rivera, F. J. U.; Artmann, E. Planejamento e gestão em saúde: flexibilidade metodológica e agir comunicativo. Ciênc. saúde colet. 1999; 4(2): 355-65.

BIREME, Biblioteca Virtual em Saúde. BIREME define metodologia para “relato de experiências”. 1967. http://www.paho.org/bireme/index.php?option=com_content&view=article&id=156%3Abireme-define-metodologia-para-qrelato-de-experienciasq&Itemid=73〈=pt. Acesso: 01.12.2015.

Artmann, E. O planejamento estratégico situacional no nível local: um instrumento a favor da visão multissetorial. Cadernos da Oficina Social 3; 2002. http://www.coepbrasil.org.br/portal/Publico/apresentarArquivo.aspx?TP=1&ID=5da6d978-3041-4a77-bfdc-7d0416763b24&NOME=4%20Planejamento%20Estrat%C3%A9gico.pdf. Acesso em: 01.12.2015.

Lacerda, J. T. et al. Unidade 2: Planejamento em Saúde. In: Leite, S. N.; Mendes, S. J.; Campese, M. Módulo Transversal: Gestão da Assistência Farmacêutica. Florianópolis: UFSC; 2013. p. 38-70.

Veber, A. P.; Lacerda, J. T.; Calvo, M. C. M. Planejamento em Saúde. Gestão da Assistência Farmacêutica. Florianópolis: UFSC; 2011.

Migliato, A. L. T (Dissertação). Planejamento estratégico situacional aplicado à pequena empresa: estudo comparativo de casos de empresas do setor de serviço (hoteleiro) da região de Brotas, SP. Mestrado em Engenharia de Produção/Universidade de São Paulo, São Paulo. 2004.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.583, de 10 de outubro de 2007. Define elenco de medicamentos e insumos disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde, nos termos da Lei nº 11.347, de 2006, aos usuários portadores de diabetes mellitus. http://dab.saude.gov.br/docs/legislacao/portaria2583_10_10_2007.pdf. Acesso em: 29.06.2015.

Brasil. Lei Federal nº 11.347, de 27 de setembro de 2006. Dispõe sobre a distribuição gratuita de medicamentos e materiais necessários à sua aplicação e à monitoração da glicemia capilar aos portadores de diabetes inscritos em programas de educação para diabéticos. http://www010.dataprev.gov.br/sislex/paginas/42/2006/11347.htm. Acesso em: 29.06.2015.

Consórcio Paraná Saúde. Orientações Gerais para fornecimento de insumos para pacientes insulinodependentes dos municípios consorciados (Portaria GM/MS nº 1555/2013). http://www.consorcioparanasaude.com.br/pdf/Fornec-insumos-insulino.pdf. Acesso em: 01.12.2015.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Assistência Farmacêutica na Atenção Básica, 2ª ed. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2006.

Brasil, Ministério da Saúde. Portaria nº 399, de 22 de fevereiro de 2006. Divulga o Pacto pela Saúde 2006 – Consolidação do SUS e aprova as diretrizes operacionais do referido pacto. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt0399_22_02_2006.html. Acesso em: 09.06.2015.

Werneck, M. A. F.; Faria, H. P.; Campos, K. F. C. Protocolos de cuidado à saúde e de organização do serviço. Belo Horizonte: Nescon/UFMG; 2009. https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/3914.pdf. Acesso em: 01.12.2015.

Assal, J. P. Education del diabético: problemas que afrontam los pacientes y los prestadores de asistencia em la ensenânza de personas com DMII y DMI. In: Organización Parnamericana de la Salud. Educación sobre diabetes: disminuyamoselcosto de laignornacia. Washington; 1996.

Krall, L. P. Manual do diabete de Joslin. 11ª ed. São Paulo: Roca; 1983.

Sandoval, R. C. B. (Dissertação). Grupo de convivência de pessoas com Diabetes Mellitus e familiares: percepção acerca das complicações crônicas e consequências sociais crônicas. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem/Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2003.

Barreto, J. L. Plano Operativo: Momento Normativo. Gestão da Assistência Farmacêutica. Florianópolis: UFSC; 2012.

Chiavenato, I. Teoria Geral da Administração. 3ª ed. São Paulo: McGraw-Hill; 1987.




Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.