A atenção prestada aos usuários de substâncias psicoativas em Unidades de Pronto Atendimento por enfermeiros e médicos

Larissa de Abreu Queiroz, Fátima Büchele, Marcelo Stuart Barreto

Resumo


Esse artigo tem como objetivo conhecer a atenção prestada aos usuários de substâncias psicoativas por médicos e enfermeiros das Unidades de Pronto Atendimento de um município do sul do Brasil. Para tal realizou-se uma pesquisa descritiva, de natureza qualitativa com entrevistas semiestruturadas entre maio e agosto de 2013, com profissionais médicos e enfermeiros que atuam nessas unidades, totalizando 16 participantes. A análise textual foi feita por meio do software Iramuteq e foi dividida em dois corpus: o atendimento e encaminhamento aos usuários de substâncias psicoativas nas UPA’s e sentimentos e preconceitos dos Enfermeiros e Médicos das UPA’s. Os resultados revelam que os CAPS ad e o hospital público de referência do estado são os locais que geralmente os usuários de substâncias psicoativas são encaminhados após serem atendidos nas UPA’s. Os profissionais, que realizam o atendimento, conforme classificação de risco, muitas vezes são ameaçados pelos usuários. Isso parece evidenciar o preconceito e medo por parte da equipe ao atender esta demanda, sendo um dos principais desafios a ser superado. Há também uma necessidade de maior qualificação para o atendimento desses usuários por parte das equipes.

Abstract: Objective: This article aims to meet the attention given to the users of psychoactive substances by doctors and nurses of the Emergency Care Units of a city in Southern Brazil. Thus, a descriptive research was conducted, qualitative in nature with semi structured interviews between May and August of 2013, with professionals, doctors and nurses, who work in these units, totaling 16 participants. The textual analysis was made through the software Iramuteq and was divided into two corpus: the care and referral of the drug users in the UPA’s and the feelings and prejudices of the nurses and doctors of the UPA’s. The results show that the CAPS ad and the public hospital, reference in the State, are the places that usually users of psychoactive substances are directed after being attended by the UPA’s. The professionals who perform the service, as risk rating, are often threatened by users. This seems to highlight the prejudice and fear on the part of the team who attends this demand, being one of the main challenges to be overcome. There is also a need for greater qualification in the care of these users on the part of the team.

Keywords: Attention. Illicit Drugs. Substance Related Disorders. Emergency Medical Services. Emergency Treatment.


Palavras-chave


Atenção; Drogas Ilícitas; Transtornos Relacionados ao uso de substâncias; Serviços Médicos de Emergência; Tratamento de Emergência;

Texto completo:

PDF/A

Referências


Pratta EMM, Santos MA. Levantamento dos motivos e dos responsáveis pelo primeiro contato de adolescentes do ensino médio com substâncias psicoativas. Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog 2006: 2(2) 2006.

Bastos FI, Cunha CB, Bertoni N. Uso de substâncias psicoativas e métodos contraceptivos pela população brasileira, 2005. Rev Saúde Públ 2008; 42(1): 118-26.

Amaral RA, Malbergier A, Andrade AG. Manejo do paciente com transtornos relacionados ao uso de substância psicoativa na emergência psiquiátrica. Rev Bras Psiquiatr 2010; 32(2): 104-11.

Kondo EH, et al. Abordagem da equipe de enfermagem ao usuário na emergência em saúde mental em um pronto atendimento. Rev Esc Enferm USP 2011; 45(2): 501-7.

Souza FSP, Silva CAF, Oliveira EN. Serviço de emergência psiquiátrica em hospital geral: estudo retrospectivo. Rev Esc Enferm USP 2010; 44(3): 796-802.

Rodrigues NNO, et al. Accidentes y lesiones por consumo de alcohol y drogas en pacientes atendidos en una sala de urgencia. Rev Latinoam de Enferm 2010; 18: 521-8.

Diehl A, et al. Dependência Química- Prevenção, Tratamento e políticas Públicas. Porto Alegre: Artmed; 2011.

Brasil. Ministério da Saúde. Política nacional de Humanização da atenção e Gestão do SUS: acolhimento e classificação de risco nos serviços de urgência. Brasília: Ministério da saúde; 2009. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento_classificaao_risco_servico_urgencia.pdf. Acesso em 03.09.2013

Campos CJG, Teixeira MB. O atendimento do doente mental em pronto-socorro geral: sentimentos e ações dos membros da equipe de enfermagem. Rev Esc Enferm USP 2001; 35(2): 141-9.

Prates JG. (Dissertação). A representação social dos enfermeiros de serviços de urgência e emergência acerca da assistência aos usuários de álcool e 45 outras drogas. Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, São Paulo. 2011.

Gonçalves SSPM, Tavares CMM. Atuação do enfermeiro na atenção ao usuário de álcool e outras drogas nos serviços extra- hospitalares. Esc Anna Nery Rev Enferm 2007; 11(4): 586-92.

Segatto ML, et al. O impacto do uso de álcool em pacientes admitidos em um pronto-socorro geral universitário. Rev Psiq Clín 2008; 35(4): 138-43.




Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.