FREQUÊNCIA DO CONSUMO DE ALIMENTOS DE UM GRUPO DE IDOSOS DO BAIRRO BELA VISTA DE SÃO JOSÉ / SC.

Carla Juliana Chassot da Silva

Resumo


INTRODUÇÃO

A população idosa vem crescendo a cada dia; e são diversos os fatores que influenciam o consumo alimentar.

OBJETIVO

Avaliar a freqüência do consumo de alimentos de um grupo de idosos do bairro Bela Vista de São José / SC.

MÉTODOS

A pesquisa caracterizou-se como qualitativa, quantitativa, estudo de caso e pesquisa-ação. A amostra foi composta por 39 idosos com idade entre 63 e 87 anos; sendo 89,7% (n=35) do sexo feminino e 10,3% (n=4) do sexo masculino. O instrumento utilizado para a coleta dos dados inicialmente foi o Questionário sobre hábitos de vida e doenças e posteriormente o Questionário de Freqüência do Consumo de Alimentos. Todos os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido autorizando informações e imagens coletadas.

RESULTADOS

Elevado consumo de frutas (92,3%) e leites e derivados integrais (53,8%). Identificou-se de forma positiva o baixo consumo de refrigerantes e bebidas alcoólicas; alimentos embutidos e enlatados. Porém, salienta-se o baixo consumo de cereais integrais e ingestão hídrica. Visualizou-se que 87% (n=34) não possuem o hábito de fumar; porém quanto à prática regular de atividade física (5 dias na semana por 30 minutos diários) 54% (n=21) não pratica atividade física. A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) está presente em 69% (n=27) da amostra estudada.

CONCLUSÕES

Percebe-se uma necessidade da atuação do nutricionista junto a este público, uma vez que é crescente o número de idosos em nosso país e é dever dos profissionais de saúde possibilitar condições adequadas para este envelhecimento saudável, em todos os âmbitos. 


Palavras-chave


Hábitos Alimentares. Longevidade. Educação Nutricional.



Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.