Sentidos e dificuldades de práticas curriculares de humanização.

Paula Zeni, Luiz Roberto Agea Cutolo

Resumo


O movimento de busca pelo desenvolvimento da formação acadêmica ancorada em atitudes positivas, no que tange os princípios morais, éticos e solidários, é um processo, não apenas um momento pontual. Afirmando-se isso, expressamos a intencionalidade de refletir sobre os agentes e aspectos educacionais envolvidos na construção e aprimoramento desta transformação pedagógica. Considerando que este processo resulta das relações entre a organização curricular, os docentes e os discentes, é necessário refletir a respeito de como se estabelecem tais relações, identificar os pontos frágeis e os ganhos até aqui. Conhecer a percepção dos docentes dos cursos de graduação da área da saúde com relação aos sentidos da humanização e que angústias são geradas acerca destes, pode trazer importantes elementos para reflexão, avaliação, aperfeiçoamento e adequação das atividades e momentos proporcionados ao longo da graduação. O objetivo da pesquisa foi identificar entre os docentes dos cursos de graduação da área da saúde da Universidade Comunitária da Região de Chapecó, suas percepções sobre os sentidos e as dificuldades para o desenvolvimento da competência atitudinal de humanização durante a formação acadêmica. A metodologia utilizada foi o Grupo de Discussão. Realizada análise através de Pesquisa Exploratória Descritiva, com abordagem Qualitativa. Com a pesquisa foi possível categorizar sentidos e angústias do grupo docente frente ao desenvolvimento da competência atitudinal de humanização durante a formação acadêmica. A construção de um espaço coletivo do conhecimento, de análise da realidade, de um confronto e troca de experiências constitui-se unidades produtivas de conhecimentos a partir de uma realidade concreta, para serem transferidas a essa realidade a fim de transformá-la.


ABSTRACT - The movement of the search for the development of academic formation anchored in positive attitudes with regard to moral, ethical and supportive principles is a process, and not just a one-off moment. With this affirmation, we express the intention to reflect on the agents and educational aspects involved in the construction and improvement of this pedagogical transformation. Taking into consideration that this process results from the relations within the curricular organization, the teachers, and the students, it is necessary to reflect on the way in which these relations are established, and identify the fragile aspects and the gains achieved so far. Knowing the perceptions of the teachers of the undergraduate courses in the era of health with regard to the meanings of humanization, and the distress that is generated by these, can bring important elements for reflection, evaluation, improvement and adaptation of the activities and moments offered throughout graduation. The objective of this research was to identify, among the teachers of undergraduate courses in the area of health at Universidade Comunitária da Região de Chapecó, their perceptions of the meanings, and the difficulties faced in the development of a the attitudinal competence of humanization during the academic training. The methodology of discussion group was used. The analysis was conducted through descriptive exploratory research, with qualitative approach. Through this research, it was possible to categorize senses and distress of the teaching group in face of the development of the attitudinal competence of humanization during their academic training. The construction of a collective space of knowledge, analysis of the reality, confrontation, and exchange of experiences constitute productive units of knowledge, based on a concrete reality, to be transferred to this reality in order to transform it.
Keywords: teachers; attitudinal competence; humanization.



Palavras-chave


Docente, Competência Atitudinal, Humanização

Texto completo:

PDF/A


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.