Para além da “fuga da realidade”: outras motivações para consumo de psicoativos na contemporaneidade [Beyond the "escape from reality": other motivations for consumption of psychoactive drugs]

Júlio Delmanto

Resumo


Nas palavras de Howard Becker, “tanto especialistas quanto leigos interpretam comumente o uso de drogas como uma ‘fuga’ de algum tipo de realidade que o usuário supostamente considera opressiva ou insuportável”. Partindo desta chave explicativa como insuficiente para a análise do recurso à alteração de consciência através dos diversos usos de diversas drogas, cada uma com sua história e cultura de uso, este artigo pretende apresentar outras possibilidades e hipóteses de motivações para o consumo de psicoativos na contemporaneidade e questionar se é possível, ao contrário do que invariavelmente pensou a esquerda brasileira, “mobilizar as energias da embriaguez para a revolução”.

 

ABSTRACT - In the words of Howard Becker, "both experts and lay people commonly interprets the use of drugs as an 'escape' of some kind of reality that the user considers supposedly oppressive and intolerable." Starting from this explanatory key, and taking it as insufficient for the analysis of the use of consciousness alteration through the diverse uses of several drugs, each with its own history and culture of use, this article intends to present other possibilities and motivations for the consumption of psychoactive drugs in contemporany times and questions if it is possible, contrary to what invariably thought the Brazilian left, "mobilize the energies of intoxication for the revolution."

Keywords: Drug; Prohibition; Leftist Organizations.


Palavras-chave


Drogas; Proibicionismo; Esquerda.

Texto completo:

PDF/A


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.