Das Tecnologias do eu às Tecnologias Sociais: a Ideia Comunista como referencial teórico da transformação social

Douglas Francisco Kovaleski

Resumo


As Tecnologias Sociais têm como objetivo a transformação social. Essa intencionalidade transformadora varia desde questões pontuais que produzem efeitos em pequenos grupos de pessoas, até lutas sociais onde o que está em questão é o modo de produção da vida. O caminho trilhado neste escrito passa de uma compreensão da sociedade, calcada em algumas concepções de Michel Foucault, apoiado por autores da sociologia crítica, aborda as relações entre as Tecnologias Sociais e as Tecnologias do “eu” e apresenta algumas possibilidades a partir da obra “A Hipótese Comunista” de Alain Badiou. As Tecnologias do eu apresentam similaridades com as Tecnologias Sociais, pois ambas são formas de resistência a uma sociedade que oprime a autonomia humana. As primeiras possuem um enfoque individual, de caráter subjetivo, enquanto as Tecnologias Sociais estão colocadas no âmbito coletivo. A Ideia Comunista lançada por Alain Badiou, tem na sua base a subjetivação - processo de autonomia e de tomada de consciência, onde o individuo passa a fazer parte de um novo sujeito, que não se refere mais ao indivíduo, mas a um desejo político relacional. Conceito que pode lastrear e proporcionar êxito à junção entre as Tecnologias Sociais e as Tecnologias, auxiliando a transformação social.

Palavras-chave


poder; autonomia pessoal; mudança social; comunismo;



Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.