Dos limites do crescimento à gestão da sustentabilidade no processo de desenvolvimento

Hans Michael van Bellen, Anna Cecília Mendonça Amaral Petrassi

Resumo


Este trabalho apresenta uma síntese da evolução histórica e da ligação entre os conceitos de sustentabilidade e desenvolvimento, desde a percepção, ainda incipiente, da crise ambiental, ocorrida na década de 1960, até as mais recentes conferências do clima promovidas pela ONU. Após a introdução, o segundo item apresenta a evolução da percepção da crise ambiental pela sociedade até o entendimento de que existem limites ecológicos para o crescimento, dado o modelo vigente de desenvolvimento. O terceiro item aborda os conceitos de ecodesenvolvimento, conforme delineado por Sachs, passando pela inclusão da categoria territorial até chegar ao conceito de desenvolvimento territorial sustentável. No quarto item é vista a perspectiva do desenvolvimento sustentável, são analisados tanto a sua dimensão de conceito apaziguador proposta pela ONU, como os avanços ocorridos desde a década de 1990 até os dias atuais, sem deixar de expor o paradoxo de se almejar equilibrar crescimento econômico ilimitado com um meio ambiente que não se deteriore ou entre em colapso. Conclui-se com a constatação de não ser possível optar por uma única, estática e abrangente definição para o desenvolvimento sustentável. Por fim, fica o convite, ou provocação, para se repensar a ideia de sustentabilidade como elemento substantivo do desenvolvimento e não mais como seu adjetivo. Fica também a sugestão de exercitar a construção de novos modelos mentais e de governança, dado a declarada falência dos atuais.

Palavras-chave


Desenvolvimento Sustentável; Ecodesenvolvimento; Sustentabilidade; Crise Ambiental; Gestão da Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rev. NECAT, ISSN 2317-8523, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.