Acordos comerciais, economia fechada e Brasil: algumas observações

Ricardo L. C. Amorim

Resumo


Os acordos de livre comércio tem se multiplicado ao redor do mundo, prometendo mudanças nos fluxos econômicos internacionais. E o Brasil tem ficado de fora. Cabe, então, perguntar: a economia brasileira deve ser considerada fechada? Para responder a esse questionamento, o trabalho discute, primeiro, as teses liberais que permitem a muitos economistas defender o livre comércio. Em seguida, apresenta um contraponto que nega ser o Brasil um país avesso às trocas internacionais. O texto defende que economia brasileira já é internacionalizada e, portanto, não será a simples abertura comercial que melhorará o desempenho e a produtividade da estrutura produtiva. O país precisaria, na verdade, reposicionar-se nos fluxos econômicos internacionais, alcançando patamares cada vez mais altos de valor agregado em suas exportações. Isso, no entanto, é uma construção e esta se faz com planejamento e políticas industriais e de comércio exterior integradas.    


Palavras-chave


Brasil; Comércio exterior; Acordos comerciais; Economia fechada; Economia internacionalizada.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rev. NECAT, ISSN 2317-8523, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.