Panorama histórico - político da luta antimanicomial no Brasil: as instabilidades do momento atual

Valdene Rodrigues Amancio, Luciano Elia

Resumo


O texto faz uma retrospectiva histórica da loucura, passando pela Narrenchiff, Nau dos loucos, até o Grande Internamento e as mudanças produzidas por Pinel. Discorre de maneira sucinta sobre as mudanças ocorridas em vários países e se debruça na história dos manicômios no Brasil, desde o seu primeiro hospício até a entrada na era psicossocial.

Aponta as dificuldades do momento atual, como a remanicomialização do campo da Saúde Mental pelo viés das drogas, com a inclusão das Comunidades Terapêuticas no escopo de tratamento. De igual modo, aponta a redução da maioridade penal, a política de guerra às drogas, de exclusão e extermínio, a criminalização da pobreza e ainda a artificialização da RAPS e a equivocada inclusão da Saúde Mental na Atenção Básica como colaboradores para o não avanço da Atenção Psicossocial.

Por último indica a inflexão na política pública da Atenção Psicossocial por fatores que ultrapassam o campo da própria Saúde Mental, como os recentes e desastrosos acontecimentos políticos brasileiros, a saber: o golpe na democracia, a privatização do Estado e das práticas de saúde e educação, a supressão de direitos sociais e trabalhistas e a entrada do Estado brasileiro na ordem neoliberal, o que acarreta sérios efeitos no campo da Saúde Mental.

Palavras-chave


Atenção Psicossocial;Saúde Mental; Reforma Psiquiátrica.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.