Entre serviços e experiências de adoecimento: Narrativas e possibilidades de Recovery em saúde mental

Ellen Cristina Ricci

Resumo


Este artigo surge de uma pesquisa de mestrado que buscou compreender o cotidiano de usuários em tratamento nos serviços substitutivos de saúde mental, com diagnóstico do espectro esquizofrênico, através de suas narrativas sobre seu cotidiano a partir da experiência de adoecimento. No campo da saúde mental têm-se poucas pesquisas que valorizam a experiência dos usuários a partir da sua própria narrativa.

A pesquisa foi multicêntrica, qualitativa, com referencial da psicopatologia fenomenológica e aproximações aos estudos sócio-antropológicos, a partir da técnica de grupos focais. O estudo ocorreu entre 2009-2011 nos municípios de Campinas, Rio de Janeiro e Salvador, e os dados analisados com base na fenomenologia interpretativa.

O objetivo deste artigo foi analisar as narrativas sobre a experiência do adoecimento psíquico de usuários de CAPS, em relação aos diferentes espaços de tratamento e quais serviços são sensíveis aos processos de recovery. A palavra recovery será usada em inglês, pois ainda não há consenso entre pesquisadores do conceito sobre sua tradução para a língua portuguesa.O resultado foi a preferência pelo cuidado nos CAPS, onde os usuários sentiram-se ouvidos, acolhidos e implicados no tratamento, ao passo que os hospitais psiquiátricos provocaram a privação de liberdade produziu violência física, quebra de vínculos familiares, territoriais e terapêuticos. Conclui-se que os CAPS são mais sensíveis para explorar a complexidade e singularidade da experiência do adoecimento em esquizofrenia bem como acolher e estimular processos de recovery.


Palavras-chave


Experiência do Adoecimento;Esquizofrenia;Cotidiano;Recovery;Serviços de Saúde Mental.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.