Marginalidade: habitando o "entre" na interface das artes e da saúde

Juliana Araújo Silva, Elizabeth Maria Freire de Araújo Lima

Resumo


Este artigo é um extrato da pesquisa de mestrado “Poéticas e Marginalidade: experiência no Projeto Cidadãos Cantantes. A pesquisa foi uma cartografia da experiência neste projeto existente desde 1992, composto por uma oficina de Coral Cênico e uma Oficina de dança e expressão Corporal,  que habita a zona de fronteira entre as artes e a saúde, principalmente a saúde mental. Especificamente para a elaboração deste artigo focamos em  questões relativas a sustentação desta experiência, na interface de campos, com a ajuda da ideia de marginalidade trabalhada por Helio Oiticica. É realizado um breve panorama que contextualiza o surgimento deste Projeto, seus passos iniciais, bem como questões surgidas em mais de vinte anos de experiência. As questões conceituais para a constituição de um trabalho fronteiriço, bem como as relações institucionais com os espaços de cultura são abordadas. 


Palavras-chave


Atenção Psicossocial; Artes; Políticas Publicas.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.