Saúde Mental e Arte: relato de uma oficina de experiências estéticas em um Centro de Atenção Psicossocial

Ana Paula Antero Lobo, Magda Ferreira Fernandes, Vanina Barbosa Lopes

Resumo


A Reforma Psiquiátrica é um marco na organização da política de saúde mental no Brasil. Caracteriza-se pela transformação do modelo de cuidado centrado na internação em hospital psiquiátrico para o de base territorial. Os Centros de Atenção Psicossocial – álcool e outras drogas (CAPS AD) são serviços de referência e tratamento para pessoas que fazem uso abusivo de substâncias psicoativas. As oficinas terapêuticas são atividades grupais que promovem maior integração social e familiar, a expressividade, o desenvolvimento de habilidades corporais, a realização de atividades produtivas e o exercício coletivo de cidadania. A arte pode ser utilizada como instrumento potencializador desse processo, ampliando a percepção, resgatando a autoestima e despertando a criatividade dos indivíduos. O presente artigo é o relato de experiência de uma oficina de arte com usuários de um CAPS AD, situado na cidade de Fortaleza/Ce. O objetivo é narrar as atividades desenvolvidas nessa oficina que facilitaram a promoção de habilidades e capacidades para o desempenho ocupacional desses usuários. O grupo era composto, em média, por oito usuários e mediado por duas profissionais. As oficinas aconteciam semanalmente e as atividades e as considerações dos usuários sobre as reuniões eram transcritas pelas profissionais em um caderno de registros. A “oficina de Pirulitoches” - construção de uma peça teatral, através de fantoches - promoveu a potencialização e valorização de formas singulares do processo de livre criação dos usuários, melhora do equilíbrio emocional e minimização dos efeitos negativos do uso abusivo de drogas.


Palavras-chave


Centro de Atenção Psicossocial; Terapia Pela Arte; Saúde Mental.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.