Familiares de portadores de doença mental: expectativas sobre a doença

Ana Paula Trombetta, Marciele Misiak, Flavia Regina Souza Ramos

Resumo


Verificou-se na prática diária de atenção a saúde mental que a participação da família é essencial para que o tratamento do usuário ocorra de maneira efetiva e dessa forma faz-se necessário ações voltadas à família e que busquem soluções práticas onde ocorra o fortalecimento de uma boa relação entre família, serviço e usuário como parceiros no tratamento. O estudo teve como objetivo identificar quais as expectativas dos familiares em relação à evolução da doença dos usuários acometidos por transtorno mental em um CAPS I e que participam do Centro de Atenção Psicossocial, no Meio Oeste de Santa Catarina. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, do tipo exploratória descritiva. Evidencia-se que os familiares entrevistados estão carentes de cuidados relacionados a apoio emocional e informações sobre a doença e muitas vezes não procuram o serviço, pois não possuem uma relação próxima com o mesmo. A equipe precisa estar sensibilizada sobre a importância de ter o familiar como apoiador e ter a consciência de que se o familiar está bem orientado, irá refletir na relação domiciliar e irá melhorar na qualidade de vida do usuário. Os CAPS devem fornecer este apoio aos familiares e criar situações ou estratégias de enfrentamento e um espaço terapêutico no qual os familiares se sintam acolhidos e preparados para enfrentar está nova condição que se apresenta.


Palavras-chave


Saúde Mental; Serviços de Saúde Mental; Relações Familiares.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.