O que a saúde mental tem a ver com religiosidade?

Danielle Vargas Baltazar, Claudia Osório da Silva

Resumo


Trata-se de um estudo sistematizado sobre a relação entre a religiosidade de quem sofre e o processo de reabilitação psicossocial conduzido pelos profissionais da saúde mental. Busca investigar e compreender como os profissionais lidam com a opção religiosa intencional de seus pacientes e se a consideram como manifestação social capaz de possibilitar a reorganização individual e coletiva dos mesmos. Propõe uma definição de religiosidade tomando por base a oposição entre cosmovisão sagrada e profana e utiliza como categoria analítica a Religiosidade Popular. Destaca pontos de impasse entre a proposta de atenção psicossocial e a filiação religiosa dos pacientes. E, além disso, aponta algumas possibilidades decorrentes da presença da religiosidade no discurso dos pacientes. Observamos que o sentido de mundo construído a partir da experiência religiosa ainda que aparentemente ilógico, tem coerência para quem dele se apropria, é algo que não se sustenta em dados objetivos, mas no sentido que fornece às experiências e ao seu valor na economia psíquica

Palavras-chave


Religiosidade; Saúde mental; Reabilitação psicossocial.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.