Crise mundial, conjuntura política e social no Brasil, e os novos impasses teóricos na análise da reforma psiquiátrica no país/ Global crisis, political and social conjuncture in Brazil and the new theoretical impasses of the analysis of psychiatric

Eduardo Mourão Vasconcelos

Resumo


O presente trabalho pretende montar uma breve análise das principais tendências da atual conjuntura econômica, política, ecológica e social no mundo capitalista e, particularmente, no Brasil, mostrando as suas inúmeras implicações para a maioria da população, para as políticas sociais em geral e para a política de saúde e saúde mental em nosso País. Este pano de fundo visa a colocar em debate as bases teóricas e as estratégias políticas dos atores e movimento sociais que impulsionam a luta pela reforma psiquiátrica no País, particularmente dentro do movimento antimanicomial. Constata-se que, em seu conjunto, esse movimento reúne um espectro pluralista de tendências teóricas e clínico-assistenciais, o que constitui uma característica positiva. No entanto, não construiu um núcleo teórico mais sistemático capaz de fazer a análise da crise contemporânea, marcada pelo neoliberalismo, e de suas consequências para o campo da saúde mental. Essa deficiência tem gerado inúmeras distorções e fragilidades no enfrentamento das limitações atuais para a luta antimanicomial. O autor reivindica, então, a necessidade de se investir em teóricos que construíram uma economia política da história da psiquiatria e dos processos de reforma psiquiátrica, para uma avaliação mais sistemática dos limites estruturais e das estratégias necessárias para se avançar nas possibilidades de reformas psiquiátricas em países periféricos e semiperiféricos, particularmente neste contexto de crise neoliberal.

ABSTRACT This present work intends to assemble a brief analysis of the main tendencies of current trends in general economic, political, ecological and social development in the capitalist world and particularly in Brazil, showing its numerous implications for the majority of population for social policies in general and for health policies and mental health in our country. This backdrop aims to put up in debate the theoretical bases and political strategies of the actors and social movements that propel the struggle for psychiatric reform in the country, particularly inside anti-asylum movement. It is noted that, as a whole, this movement gathers a pluralist specter of theoretical and clinical-care trends, which constitutes in a positive characteristic. However, it did not build a theoretical, systematical core, capable of an analysis of the contemporary crisis, marked by neoliberalism, and of its consequences to mental health field. This deficiency has generated numerous distortions and weaknesses in addressing current limitations for anti-asylum struggle. The author claims, then, the need to invest in theorists that built a political economy of psychiatry history and psychiatric reform processes, for a more systematical evaluation of structural limits and strategies needed to advance in the possibilities of psychiatric reform in peripheral and semi-peripheral countries, particularly in this context of neoliberal crisis.

KEYWORDS: Psychiatric Reform; Neoliberal Crisis; Theoretical Bases; Mental Health.


Palavras-chave


Reforma Psiquiátrica; Crise Neoliberal; Bases Teóricas; Saúde Mental.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.