Impasses políticos atuais do Movimento Nacional de Luta Antimanicomial (MNLA) e propostas de enfrentamento: se não nos transformarmos, o risco é a fragmentação e a dispersão política!/ Current political impasses of the Anti-Asylum National Movement (MNLA)

Eduardo Mourão Vasconcelos

Resumo


Este pequeno ensaio visa a avaliação da conjuntura política e social mais ampla no Brasil e, particularmente, no campo da saúde, saúde mental e do movimento antimanicomial, mostrando como ela vem se transformando rapidamente nos últimos anos, com novas rupturas importantes a partir do Governo Dilma. Neste quadro, o Movimento Nacional da Luta Antimanicomial (MNLA), uma das tendências do movimento antimanicomial no País, se encontra hoje inteiramente despreparado para atuar e dar as respostas políticas necessárias às atuais ameaças contra a reforma psiquiátrica no Brasil. O texto tem como objetivo principal estimular o debate interno dentro do MNLA, no sentido de avaliar sua organização interna e suas estratégias. Postula que, se não houver mudanças rápidas em sua identidade, na estratégia mais geral do movimento e nas formas internas de articulação e organização política, o risco é a sua institucionalização, a fragmentação e a dispersão política em poucos anos, com imensas perdas em seu papel de garantir valores e lutas fundamentais dentro do movimento antimanicomial e no processo brasileiro de reforma psiquiátrica. Entretanto, o autor avalia que, se houver vontade política interna, é possível reverter parcialmente essas tendências, e conclui levantando alguns cenários possíveis e propostas concretas para induzir as mudanças indicadas como necessárias.

ABSTRACT This short essay aims assessing political and social conjecture in Brazil, particularly in health, mental health and anti-asylum movement fields, showing how it has been transforming quickly in the last few years, with new important ruptures from government Dilma. In this scenario, the National Anti-Asylum Struggle Movement (MNLA), one of the trends in anti-asylum movement in the country, sees itself completely unprepared to act and give the political answers that are needed to the current threats against psychiatric reform in Brazil. This paper has as a main goal to stimulate internal debate inside MNLA, in order to evaluate its internal organization and strategies. Postulates that, if there’s no quick change in its identity, general strategy of the movement and internal forms of articulation or political organization, it risks political institutionalization, fragmentation and policy dispersion in a few years, with huge losses in its role to guarantee worth and fundamental fights inside anti-asylum movement and the Brazilian process of psychiatric reform. However, the author assesses that if, there’s internal political will, it is possible to partially reverse these trends, and concludes raising some possible scenarios and concrete proposals to induce pointed changes as needed.

KEYWORDS: Mental Health; Anti-Asylum Movement; Psychiatric Reform.


Palavras-chave


Saúde Mental; Movimento Antimanicomial; Reforma Psiquiátrica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.