Da internação à reabilitação: uma construção coletiva

Martha Helena Oliveira Noal

Resumo


O artigo relata a mudança de paradigma no município de Santa Cruz do Sul (RS) quanto à reorientação da atenção em saúde mental, numa cidade que oferecia um modelo estritamente hospitalocêntrico de assistência aos transtornos psíquicos.

 

Em 1996, a partir de um concurso público e da contratação de diversos profissionais da área da saúde mental, a cidade passa a receber outro modo de cuidado ao sofrimento psíquico, com o processo de construção de uma rede de atenção integral à saúde mental, territorial, interdisciplinar, contemplando a integralidade dos sujeitos implicados, culminando com o fechamento do hospital psiquiátrico, em 1999.

 

A ampliação dos serviços de saúde mental e a priorização do enfoque preventivo, comunitário, baseado nas prerrogativas do Sistema Único de Saúde e da Organização Mundial de Saúde, em constante comunicação com a Atenção Básica possibilitam atualmente, ações em saúde mental que promovem melhora clínica dos usuários, redução da necessidade de internações, com consequentereabilitação psicossocial e incremento na qualidade de vida destes e de suas famílias. A constituição de um Fórum Regional Permanente de Saúde Mental expandiu a articulação e fortalecimento da rede não só na cidade como em toda a região.

 

 

 

 


Palavras-chave


Saúde mental; CAPS; Reforma Psiquiátrica.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.