Éticas em conflito: reforma psiquiátrica e lógica manicomial

Walter Ferreira de Oliveira

Resumo


Este artigo examina duas lógicas que se contrapõem e condicionam o campo da saúde mental: e da atenção psicossocial: uma, que pode ser descrita como um conjunto de preceitos que caracteriza o desenvolvimento da Reforma Psiquiátrica e outra, a que comumente nos referimos como a lógica manicomial. O autor considera que estes dois pontos de vista constituem um conflito cujo fundo é de natureza ética. Para consolidar esta proposição, o autor refere-se à construção do campo da psiquiatria, disciplina hegemônica no campo da saúde mental, no período anteriior a seu nascimento como especialidade, no século XIX, quando esta profissão se afirma como especialidade médica e até o início da Reforma Psiquiátrica, na segunda metade do século XX. O artigo dá suporte à idéia de que estas duas éticas conflitantes são, em certos aspectos, irreconciliáveis.

Palavras-chave


Saúde; Saúde Mental; Atenção psicossocial; SUS; reforma sanitária; reforma psiquiátrica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.