A docência clínica em musicoterapia e o pensamento emergente

Andressa Dias Amdt, Fabiane Lopes de Oliveira, Elizete Lúcia Moreira Matos

Resumo


O presente trabalho promove uma aproximação a respeito da prática clínica e docente da Musicoterapia em uma visão emergente, objetivando o reconhecimento da docência clínica em Musicoterapia e sua integração com o pensamento emergente. Por meio de uma pesquisa de caráter qualitativo, embasada na pesquisa bibliográfica constata-se a crescente produção científica que visa promover uma reflexão entre a prática musicoterapêutica e o pensamento emergente. No que diz respeito às definições de “docência clínica” verifica-se que na literatura brasileira há restrita utilização desse termo, porém sua discussão encontra-se implícita nas produções a respeito de práticas pedagógicas inovadoras, pautadas em um pensamento emergente. A pesquisa procura, portanto, responder, por meio de pesquisa de revisão bibliográfica, qual a integração entre a docência clínica em Musicoterapia com o pensamento emergente.


Palavras-chave


Docência Clínica; Musicoterapia; Pensamento Emergente.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Scholar Scholar Livre