A percepção mercantilista da educação superior brasileira a partir da atividade das instituições privadas

Thiago Henrique Francisco, Pedro Antônio de Melo, Nilo Otani, Thiago Meneghel Rodrigues

Resumo


O artigo preleciona contextualizar aspectos que determinam uma percepção mercantilista da educação superior privada. A digressão teórica elenca aspectos relacionados à educação e suas contribuiçõesna construção do aprendizado, das concepções de mundo, e da relação entre a educação, o mundo do trabalho e as bases epistemológicas da educação superior na contemporaneidade. Destacaos pontos vinculados as crises emergentes na educação superior brasileira, com ênfase na percepção das práticas predatórias no segmento privado. Para tanto, as interações metodológicas se consolidam a partir da contribuição da pesquisa acadêmica, aplicada,baseada na documentação direta configurando-se como uma pesquisa descritiva e, quanto aos objetivos, classificada como qualitativa, consideradas as bases voltadas a entrevista não–estruturada. Os resultados permitem concluir, entre outros aspectos, que a percepção mercantilista da educação superior, se consolida por meio de práticas predatórias e interferem no processo de formação acadêmica, desencadeando uma percepção errônea da concepção social da instituição universitária.


Palavras-chave


Mercantilização; Práticas predatórias; Iniciativa privada; Educação; Sociedade.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Scholar Scholar Livre