PROPOSTA DE MODELO DE GESTÃO BASEADO EM SISTEMAS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PARA INSTITUTOS DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO

Taís Bisognin Garlet, Fernando de Souza Savian, Julio Cezar Mairesse Siluk

Resumo


Projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) são realizados em empresas com a finalidade de propiciar crescimento econômico e tecnológico de alto nível e de possibilitá-las adquirir vantagens diante da concorrência. Incentivos para realização de projetos do tipo aumentam à medida que se eleva a necessidade por geração e aplicação de conhecimento voltado para novos produtos, processos e tecnologias. Nesse processo, órgãos governamentais têm incentivado a cooperação entre empresas e institutos que realizam projetos de PD&I para promover a troca de conhecimentos e tecnologias entre as partes. Dessa maneira, o desenvolvimento desses projetos precisa ocorrer de forma integrada entre empresas e institutos, visando atender a demandas de inovação e de gestão de recursos, preenchendo eventuais lacunas do setor empresarial. Para atender a essas demandas, é fundamental que institutos apresentem um modelo de gestão eficaz e eficiente. Assim sendo, a pesquisa apresentada tem por objetivo propor um modelo de gestão baseado em um sistema de avaliação de desempenho para institutos de PD&I, aplicando-o no Instituto de Redes Elétricas Inteligentes. Para atingir o objetivo proposto, realizou-se uma pesquisa bibliográfica e documental sobre as características do setor, sistemas de avaliação de desempenho e elementos que originaram por fim um modelo de gestão. Através da análise dos resultados, é possível constatar a eficiência e a eficácia do modelo, proporcionando melhor planejamento e controle dos projetos, otimização do uso dos recursos, controle dos riscos organizacionais e agilidade na identificação de falhas. 


Palavras-chave


Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação; Gestão Organizacional; Avaliação de Desempenho.

Texto completo:

PDF

Referências


ACADEMIA BRASILEIRA DA QUALIDADE - ABQ. As diretrizes para pesquisa, desenvolvimento e inovação, 2015.

AKCALI, B. Y.; SISMANOGLU, E. Innovation and the Effect of Research and Development (R&D) Expenditure on Growth in Some Developing and Developed Countries. Procedia – Social and Behavioral Sciences, v.195, p.768-775, 2015.

BAGIRE, V.; BYARUGABA, J.; KYOGABIIRWE, J. Organizational meetings: management and benefits. Journal of Management Development, v.34, n.8, p.960-972, 2015.

BRANDÃO, H. P.; GUIMARÃES, T. A. Gestão de competências e gestão de desempenho: tecnologias distintas ou instrumentos de um mesmo construto? Revista de Administração de Empresas, v.41, n.1, p.8-15, 2001.

BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC / Agência Espacial Brasileira. Brasil aumenta o investimento em ciência e tecnologia. Brasília, DF: MCTIC, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2016.

CRUZ, C. H. B. Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil: Desafios para o período 2011 a 2015. Interesse Nacional, v.3, n.10, p.1-22, 2010.

DIBRELL, C.; CRAIG, J. B.; NEUBAUM, D. O. Linking the formal strategic planning process, planning flexibility, and innovativeness to firm performance. Journal of Business Research, v.67, n.9, p.2000-2007, 2014.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL - EMBRAPII. Plano Diretor 2014-2019. Brasília, DF: EMBRAPII, 2015a, 15p. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2016.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL - EMBRAPII. Quem somos. Brasília, DF: EMBRAPII, 2015b. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2017.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL - EMBRAPII. Sistema de Excelência Operacional EMBRAPII: Unidade EMBRAPII. Brasília, DF: EMBRAPII, 2014, 26 p. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2016.

ETZKOWITZ, H.; LEYDESDORFF, L. The dynamics of innovation: from National Systems and “Mode 2” to a Triple Helix of university-industry-government relations. Research Policy, v.29, n.2, p.109-123, 2000.

FRANCO-SANTOS, M. et al. Towards a definition of a business performance measurement system. International Journal of Operations and Production Management, v.27, p.784-801, 2007.

FREEMAN, C.; SOETE, L. The economics of industrial innovation. Penguin Book, Londres, 1997.

HALILA, F.; TELL, J. Creating synergies between SMEs and universities for ISO 14001 certification. Journal of Cleaner Production, v.48, p.85-92, 2013.

HILL, C. W.; JONES, G. R. Strategic management theory: an integrated approach. Independence: Cengage Learning, 2012.

HUBBARD, D. W. Como mensurar qualquer coisa: encontrando o valor do que é intangível nos negócios. Rio de Janeiro: Qualimark, 2009.

JARZABKOWSKI, P.; BALOGUN, J. The practice and process of delivering integration through strategic planning. Journal of Management Studies, v.46. n.8, p.1255-1288, 2009.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. A execução premium. Rio de Janeiro: Campus, 2008.

KANTOLA, M.; KETTUNEN, J. Integration of education with research and development and the export of higher education. On the Horizon, v.20, n.1, p.7-16, 2012.

KOLB, D. A. Experiential Learning. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall, 1984.

LI, Y. et al. Using web mining to explore Triple Helix influences on growth in small and mid-size firms. Technovation, 2016.

MORAES, E. A.; VARELA, C. A. R,D&I in Electric Sector: a Management Model. Journal of Technology Management & Innovation, v.8, p.128-139, 2013.

OLSON, E.M.; SLATER, S.F. The balanced scorecard, competitive strategy and performance. Business Horizons, v.45, p.11-17, 2002.

PAZ-MARÍN, M.; CAMPOY-MUÑOZ, P.; HERVÁS-MARTÍNEZ, C. Non-linear multiclassifier model based on Artificial Intelligence to predict research and development performance in European countries. Technological Forecasting & Social Change, v.79, n.9, p.1731-1745, 2012.

PIÑERO, A.; RODRÍGUEZ-MONROY, C.; ARZOLA, M. Relationships and evaluation of public policies for R&D&I to stimulate innovation in SMIS. Interciencia, v.37, n.12, p.883-890, 2012.

RAMPERSAD, H. K. Total Performance Scorecard: Aligning Human Capital with Business Strategy and Ethics. Nanyang Business Review, v.4, n.1, p.72-99, 2005.

ROHRBECK, R.; SCHWARZ, J. O. The value contribution of strategic foresight: Insights from an empirical study of large European companies. Technological Forecasting & Social Change, v.80, n.8, p.1593-1606, 2013.

SALGUERO, J. et al. R&D&I management system in distributed manufacturing systems. Procedia Engineering, v.132, p.54-61, 2015.

SILUK, J. C. M. Modelo de Gestão Organizacional com Base em um Sistema de Avaliação de Desempenho. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

SONG, M.; ZHAO, Y. L.; AREND, R. J.; IM, S. Strategic planning as a complex and enabling managerial tool. Strategic Management Journal, v.37, n.2, 2015.

SUAREZ, E.; CALVO-MORA, A.; ROLDÁN, J. L. The role of strategic planning in excellence management systems. European Journal of Operational Research, v.248, n.2, p.532-542, 2016.

TEIRLINCK, P.; SPITHOVEN, A. Formal R&D management and strategic decision making in small firms in knowledge-intensive business services. R&D Management, v.43, n.1, p.37-51, 2013.

TOPALOVIC, S. The implementation of total quality management in order to improve production performance and enhancing the level of customer satisfaction. Procedia Technology, v.19, p.1016-1022, 2015.

VICENTE-OLIVA, S.; MARTÍNEZ-SÁNCHEZ, A.; BERGES-MURO, L. Research and development project management best practices and absorptive capacity: Empirical evidence from Spanish firms. International Journal of Project Management, v.33, n.8, p.1704-1716, 2015.