Mensuração do valor de uma empresa: um estudo de caso da petróleo brasileiro S/A – Petrobras

Aline Dagios Dalmolin, Juliana Andréia Rüdell Boligon, Flaviani Souto Bolzan Medeiros, Andreas Dittmar Weise

Resumo


A avaliação de empresas procura encontrar um valor justo de mercado para a organização, um valor que representa de modo equilibrado as potencialidades atuais e a futura geração de riqueza proporcionada por suas atividades. Essa mensuração de valor é algo que depende de alguns critérios, premissas e circunstâncias e, inclusive as convicções individuais daquele que realizará a avaliação interfere no valor dado a determinado ativo. Nesse contexto, este artigo tem como objetivo identificar quais, e de que modo, os ativos (tangíveis, intangíveis, passados, presentes e futuros) definem o valor de mercado de uma empresa de capital aberto. Para isso, a pesquisa desenvolveu-se por meio de um estudo de caso, com abordagens qualitativa e quantitativa, do tipo descritivo quanto aos objetivos, utilizando dados da empresa Petróleo Brasileiro S/A – Petrobras, que atua no setor de exploração e refino de petróleo. Entre os resultados, salienta-se que após aplicação do Modelo de Avaliação Patrimonial Contábil a empresa em questão tem como valor atual de mercado cerca de R$ 130 bilhões. Concluiu-se que para avaliação de empresas alguns modelos possuem como desvantagem não incluir a mensuração de ativos intangíveis. Onde um aspecto importante a ser considerado é o valor da marca, um ativo difícil de mensurar. Mas que para muitas empresas representa boa parte de seu valor de mercado.


Palavras-chave


Avaliação de empresas; Valor de mercado; Modelo de mensuração.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ACHLEITNER, A.; LUTZ, E.; SCHRAML, S. Quantitative valuation of platform technology based entrepreneurial ventures. International Journal of Opportunity, Growth and Value Creation, v. 1, n. 4, p. 352-366, 2010.

AMARAL, A. C. do. Metodologias de avaliação de empresas: teoria e prática. Revista Integração, ano XV, n. 56, p. 7-12, jan./fev./mar. 2009. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2012.

ASSAF NETO, A. Finanças corporativas e valor. São Paulo: Atlas, 2003.

BM&FBOVESPA. 2012. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2012.

BRAGA, R.; MARQUES, J. A. V. da C. Medidas de avaliação de empresas: uma evidência de suas relevâncias no caso da Companhia Paranaense de Energia - COPEL. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 7, n. 4, out./dez. 2000.

COPELAND, T.; KOLLER, T.; MURRIN, J. Avaliação de empresas – valuation: calculando e gerenciando o valor das empresas. 3. ed. São Paulo: Pearson Makron Books, 2002.

CURY, A. Organização e métodos: uma visão holística. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

DAMODARAN, A. Avaliação de investimentos: ferramentas e técnicas para a determinação do valor de qualquer ativo. Rio de Janeiro: Quality Mark, 2003.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GITMAN, L. J. Princípios de administração financeira. 12. ed. São Paulo: Pearson, 2010.

GONSALVES, E. P. Conversas sobre iniciação à pesquisa científica. 4. ed. São Paulo: Alínea, 2007.

HERING, T.; OLBRICH, M.; STEINRUCKE, M. Valuation of start-up internet companies. International Journal of Technology Management, v. 33, n. 4, p. 406-419, 2006.

LEMME, C. F. Revisão dos modelos de avaliação de empresas e suas aplicações nas práticas de mercado. RAUSP – Revista de Administração, São Paulo, v. 36, n. 2, p. 117-124, abr./jun. 2001.

LIMA, M.V.A. Metodologias construtivas para avaliar empresas de pequeno porte no Brasil, sob a ótica do investidor. 2003. 382 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Florianópolis, 2003.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MARTELANC, R.; PASIN, R.; CAVALCANTE, F. Avaliação de empresas: um guia para fusões e aquisições e gestão de valor. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

MARTINEZ, A. L. Buscando o valor intrínseco de uma empresa: revisão das metodologias de avaliação de negócios. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 23., 1999, Foz do Iguaçu, Anais... Foz do Iguaçu: EnANPAD, 1999.

MARTINS, A. The valuation of privately held firms and litigation: a case study. International Journal of Law and Management, v. 53, n. 3, p. 207-220, 2011.

MARTINS, E. Avaliação de empresas: da mensuração contábil à econômica/FIPECAFI. São Paulo: Atlas, 2001.

MÜLLER, A. N.; TELÓ, A. R. Modelos de avaliação de empresas. Revista FAE, v. 6, n. 2, p. 97-112. Curitiba, maio/dez. 2003.

PAIVA, W. P. de. Métodos de avaliação de pequenas e médias empresas. In: SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO FEA-USP, 5., 2001, São Paulo, Anais... SemeAD, São Paulo, 2001.

PEREZ, M. M.; FAMÁ, R. Métodos de avaliação de empresas e o balanço de determinação. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 10, n. 4, p. 47-59, out./dez. 2003.

PETROBRAS. Quem somos. 2012. Disponível em: . Acesso em: 25 out. 2012.

RIBAL, J.; BLASCO, A.; SEGURA, B. Truncated distributions of valuation multiples: an application to European food firms. International Journal of Mathematics in Operational Research, v. 1, n. 4, p. 419-432, 2009.

SANTOS, J. O. dos. Avaliação de empresas: cálculo e interpretação do valor: um guia prático. São Paulo: Saraiva, 2005.

SANTOS, J. P. dos. Revista Forbes coloca Petrobras entre as 20 maiores empresas do mundo. Equipe Infomoney, abr. 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2012.

SAURIN, V.; NEWTON JR., C. A. C.; ZILIO, A. da C. S. Estudo dos modelos de avaliação de empresas com base na metodologia do fluxo de caixa descontado: estudo de caso. Revista de Ciências da Administração, v. 9, n. 18, p. 123-148, maio/ago. 2007.

TOMAZONI, T.; MENEZES, E. A. Estimativa do valor econômico de empresas brasileiras de capital fechado (sem comparáveis de capital aberto) utilizando-se o método do fluxo de caixa descontado. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 23-35, jan./mar. 2004.