"Na verdade é um dialeto que foi se criando desde a imigração". Representações de acadêmicos de licenciatura acerca da língua alemã no Vale do Itajaí, Santa Catarina

Martha Regina Maas, Maristela Pereira Fritzen

Resumo


As políticas de imigração adotadas no Brasil, especialmente no século XIX, provocaram a formação de cenários plurilíngues e interculturais no Sul do país. Nessa região, estão presentes grupos sociais que ainda fazem uso de sua língua de herança, entre elas o alemão e o italiano. Neste artigo, focaliza-se um desses cenários, o Médio Vale do Itajaí (SC), com o intuito de socializar dados parciais de uma pesquisa de cunho interpretativista, que teve como objetivo desvelar as representações que acadêmicos de licenciatura, membros e não membros de grupos de imigração, constroem sobre as línguas de imigração presentes na região. Como foco para este trabalho, busca-se discutir as representações sobre o bilinguismo (alemão/português) que os acadêmicos possuem, problematizando as visões de língua e dialeto, bem como suas implicações na formação de professores e na educação formal de crianças teuto-brasileiras. O instrumento utilizado foram entrevistas semiestruturadas individuais, gravadas em áudio e transcritas. Os aportes teóricos para análise dos registros advêm da Linguística Aplicada e dos Estudos Culturais[...]

Palavras-chave


Língua alemã; Bilinguismo social; Representações.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


EntreVer, ISSN 2237-6674, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.